Fertilização Racional

Fertilização Racional

A Quinta da Cholda utiliza como método de cálculo das necessidades de fertilização a combinação de dois métodos. O primeiro, o nível médio de exportação de nutrientes com base na produtividade média da parcela, e em segundo, os resultados provenientes das análises de solo antes do início da cultura.

Em ambos os casos as aplicações eram o resultado de um valor médio dentro da parcela. Como os nossos campos são muito heterogéneos, e as produções variam muito dentro da mesma parcela, consideramos que temos feito muitos erros ao nível das reais necessidades da cultura devido a essa variabilidade espacial das parcelas.

Assim temos vindo a desenvolver um novo método de determinação das necessidades reais para a fertilização. Utilizámos em 2018 vários pontos para recolha de amostras de solo baseadas na variabilidade da electrocondutividade aparente do solo.

Foram feitas as aplicações de fertilizantes com uma alfaia VRT (Fósforo e Potássio) para responder às necessidades detectadas nas análises de solo. Os primeiros resultados pensamos que foram muito encorajadores e mantivemos o critério durante este ano de 2019, pois consideramos que ter acréscimos crescentes em relação ao método tradicional.

Este ano de 2019 fomos mais longe e fizemos um levantamento total do mapa de nutrientes do solo, numa outra parcela. Iniciámos uma nova forma para determinar as necessidades de fertilização. Agora aumentámos muito o número de amostras, passando de 1 amostra por 10 hectares, para 1 amostra por 2 hectares. O método de determinação do local da amostra, é um misto de produtividade do passado e electrocondutividade aparente do solo. Temos agora todos os resultados numa base de dados que pode gerar mapas de nutrientes e fazer a prescrição para as diferentes zonas da parcela em forma de ficheiros que são depois passados para a alfaia VRT.

Iremos no final do ano com a ajuda do mapa de produtividade, avaliar a evolução dos resultados. Pensamos que estamos a contribuir para uma optimização da produção baseada no aumento das eficiências dos factores de produção, logo com um resultado melhor a nível económico e ambiental.

Via: Página Oficial do Projecto Sparkle

O artigo foi publicado originalmente em Milho Amarelo.

Comente este artigo
Anterior Autarca de Viseu quer que Governo assuma construção de uma nova barragem
Próximo CDS pede mais apoio do PDR 2020 para defesa do montado de sobro e azinho

Artigos relacionados

Últimas

Autarcas de Portugal e de Espanha preocupados com redução drástica do caudal do Tejo

Em comunicado enviado à agência Lusa, os autarcas de Castelo Branco, Vila Velha de Ródão e Idanha-a-Nova (Portugal) e de Cedillo, […]

Últimas

António Almeida reuniu com secretário geral da CAP

O deputado do PSD/Açores António Almeida reuniu, em Lisboa, com o secretário geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Luís Mira, […]