Évora recebe jornadas sobre investigação em ambiente e agricultura no Mediterrâneo

Évora recebe jornadas sobre investigação em ambiente e agricultura no Mediterrâneo

A 27 e 28 de Junho, o Pólo da Mitra da Universidade de Évora, em Évora, acolhe as primeiras “Jornadas MED – Mediterranean Institute for Agriculture, Environment and Development”. O MED resulta de uma candidatura à Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) para a criação de um centro único de investigação em ambiente e agricultura no Mediterrâneo, que combina quatro centros de investigação do Alentejo e do Algarve: Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (Icaam), Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (Cebal), Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Cibio), Centro para os Recursos Biológicos e Alimentos Mediterrânicos (MeditBio).

O tema central do evento será “A agricultura e o ambiente no Mediterrâneo”. As jornadas são organizadas segundo as oito linhas temáticas do MED – Olival e azeite português; Viticultura e enologia; Hortofruticultura; Produção e saúde animal; Montado; Agricultura irrigada; Biodiversidade; Dinâmica rural e governança – e são compostas por sessões plenárias, sessões paralelas de discussão e apresentação de resultados de investigação.

O objectivo das jornadas é «potenciar o valor acrescentado desta fusão, em termos de produção de conhecimento e de novas áreas de cruzamento interdisciplinar», «dar visibilidade à investigação que é desenvolvida nos centros que irão integrar o MED, de forma a estabelecer possíveis parcerias que não existem, ou reforçar actuais colaborações» e «dar a conhecer a toda a comunidade o que fazemos e o que pretendemos fazer no futuro». A organização das jornadas explica que «o MED – Mediterranean Institute for Agriculture, Environment and Development vai ter cerca de 180 investigadores doutorados e será a única unidade de investigação na integração entre agricultura, alimentação, desenvolvimento rural e ambiente, no Sul do País».

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Parlamento consagra 17 de junho como Dia Nacional das vítimas de fogos
Próximo AgroVida Junho - PAC 2021-2027: um veto, se preciso for – Editorial de Teresa Silveira

Artigos relacionados

Últimas

Encontro sobre a gravidade do problema “Halyomorpha halys” – 24 de janeiro – Santarém

A APK – Associação Portuguesa de Kiwicultores, vai promover um encontro técnico entre Associações do setor Agropecuário, a DGAV e a Universidade de Coimbra, […]

Nacional

Adega alentejana da Ervideira com faturação superior a 2,5 milhões de euros

A empresa produtora de vinhos alentejana Ervideira superou as expectativas de faturação em 2019 e fechou o ano a faturar mais de 2,5 […]

Últimas

Consumidores estão dispostos a pagar mais pelos produtos biológicos, diz associação

O presidente da direção da Agrobio garantiu à Lusa que os consumidores estão dispostos a pagar mais pela qualidade dos produtos biológicos, […]