Eucaliptos: Sacha e amontoa ajudam a desenvolver plantas

Eucaliptos: Sacha e amontoa ajudam a desenvolver plantas

No primeiro ano da nova plantação é importante fazer o controlo da vegetação espontânea e “calçar” melhor a planta.

A sacha e a amontoa são duas técnicas determinantes para o desenvolvimento das plantas, devendo ser realizadas nos primeiros meses após a instalação do povoamento florestal.

A sacha é uma técnica de controlo da vegetação espontânea, específica para limpar as ervas anuais em redor dos eucaliptos, quando estes ainda estão numa fase jovem (durante o primeiro ano de idade). O objetivo é diminuir a competição das ervas com o eucalipto pelos recursos naturais, como a luz, os nutrientes e a água.

Esta é especialmente útil quando outras técnicas, como a utilização de equipamentos moto-manuais ou aplicação de herbicidas, são difíceis de aplicar, pois a proximidade destas operações à planta aumenta o risco de danificá-la. Esta técnica de controlo vegetativo é utilizada principalmente em regiões muito chuvosas, especialmente no norte e litoral do país, onde a vegetação se desenvolve de forma mais rápida.

Para uma correta operação da sacha, deve ser cortada a vegetação à volta da planta num raio de cerca de 50 cm, utilizando uma enxada ou outro equipamento similar. Esta operação pode ser combinada com outras técnicas de controlo de infestantes, caso exista muita vegetação ao longo da linha de plantação.

Amontoa evita tombamento das plantas

A amontoa, como o próprio verbo (amontoar) sugere, é a técnica de colocar terra junto à base das plantas para as aconchegar, ou, como normalmente se designa, para “calçar” melhor as plantas.

A operação pode ser feita manualmente, cobrindo a parte basal da planta até 20 cm em círculo em redor da planta, formando um cone; e, depois, aconchegar a terra à base da planta.

Estas duas técnicas podem ser realizadas individualmente ou de forma combinada, em operação manual ou mecânica, neste último caso com soluções adaptadas a alfaias.

No recurso a meios mecânicos (por exemplo, com uma grade de discos em “V”), esta operação deve efetuar o comoro ou camalhão ao longo da linha de plantação, de ambos os lados da planta.

A amontoa é utilizada em situações pontuais na gestão dos eucaliptais, seja para apoiar melhor as plantas quando tal não ocorre na plantação e, assim, diminuir a curvatura na base das plantas e/ou evitar o seu tombamento; para evitar o tombamento das plantas, que pode ocorrer em regiões tipicamente ventosas; ou para diminuir a acumulação de água junto às raízes em zonas do terreno que apresentam muita água. O excesso de água pode levar à morte das plantas.

O artigo foi publicado originalmente em Produtores Florestais.

Comente este artigo
Anterior Abertura de Mercado - Exportação de Produtos Cárneos Processados de Aves para o Brasil
Próximo Parecer sobre a Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030 aprovado por larga maioria na Comissão da Agricultura

Artigos relacionados

Nacional

Governo dos Açores já recebeu 65 candidaturas ao título de reconhecimento do Estatuto da Agricultura Familiar

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou, em São Jorge, que o Governo dos Açores já recebeu 65 candidaturas ao título de reconhecimento do Estatuto da Agricultura Familiar, que […]

Nacional

Alemanha ameaça suspender apoio ao acordo UE-Mercosul

A ministra da Agricultura alemã, Julia Klöckner, ameaçou a suspensão do apoio da Alemanha à ratificação do acordo do Mercosul face à situação que se vive na Amazónia, […]

Últimas

Portugal Ventures investe 600 mil euros na Agri Marketplace

Quatro meses depois de ter vencido um programa de inovação agro-alimentar promovido pelo Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (EIT), entre mais de mil candidaturas de todo o mundo, […]