Estratégia da BASF para a agricultura com foco na investigação e desenvolvimento

Estratégia da BASF para a agricultura com foco na investigação e desenvolvimento

A BASF anunciou recentemente que o novo enfoque da sua estratégia para a agricultura – «oferecer ao agricultor soluções integradas, que lhe permitam encontrar o equilíbrio entre a produtividade agrícola, a protecção do meio ambiente e as necessidades da sociedade» – leva a um crescimento de 25% nos seus projectos de I+D (investigação + desenvolvimento). A empresa afirma que o potencial de venda dos seus projectos de I+D para a agricultura cresceu e «irá alcançar mais de 7.500 milhões de euros».

A BASF indica que, em 2020, vai manter o mesmo nível «alto» de investimento em I+D na agricultura que aplicou em 2019, em que destinou 879 milhões de euros à I+D da unidade de negócio “Soluções Agrícolas”, «o que representa cerca de 11% das vendas desta divisão». A empresa refere também que, até 2029, irá lançar no mercado mais de 30 novos projectos, que vão ampliar a sua oferta de sementes (o que inclui sementes de alto rendimento para hortícolas), de produtos para protecção química ou biológica das culturas (onde se incluem oito novas substâncias activas), de soluções digitais e de formulações.

Os projectos de desenvolvimento da BASF estão concentrados nas «novas tecnologias e soluções para segmentos estratégicos» para quatro sistemas de cultivo: soja, milho, algodão; trigo, colza, girassol; arroz; frutas e legumes. Segundo Vincent Gros, presidente da Divisão de Soluções Agrícolas da BASF, a empresa «pretende inovar de forma sustentável na agricultura e criar valor para a sociedade» e o seu objectivo é «encontrar soluções concretas para obter mais colheita e culturas mais tolerantes ao stress e, ao mesmo tempo, reduzir a pegada de carbono da agricultura e aumentar a biodiversidade».

Entre o seu portefólio, a empresa ressalva o lançamento em 2020 da substância activa Broflanilide, para controlo de pragas como o escaravelho da batata. «A nova estratégia reforçou o nosso enfoque em alguns sistemas de culturas. Estamos a aplicar toda a tecnologia disponível para responder às necessidades económicas, sociais e ambientais através de soluções sustentáveis a longo prazo», sublinha Peter Eckes, presidente da Investigação Biocientífica da BASF.

Pode consultar aqui mais informação sobre os projectos que a BASF está a desenvolver para a agricultura.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Ministério da Agricultura decide majorar em 60% a bonificação nos seguros para detentores de Estatuto de Agricultura Familiar
Próximo LumiGEN™, a nova marca tecnológica da Corteva Agriscience™ que garante uma proteção completa das culturas

Artigos relacionados

Últimas

A moderna agricultura e a melhoria da alimentação dos portugueses – Manuel Chaveiro Soares

Desde o homem caçador-recoletor até ao século XX, e apesar de a agricultura ter nascido há cerca de dez mil anos – na sequência de uma ocorrência natural (mas muito improvável): um […]

Sugeridas

Notas da Semana – O “caderno de encargos” da Presidência portuguesa – Jaime Piçarra

A semana que hoje termina fica marcada, para além do Conselho Agrícola, pelo prolongamento do atual Estado de Emergência e do confinamento, provavelmente até março, com a decisão do encerramento de fronteiras que, apesar dos […]

Sugeridas

Polígrafo SIC: Líder do PAN é dona de duas empresas que praticam agricultura intensiva e utilizam plástico?

Inês Sousa Real, líder do PAN, está a ser acusada de ser dona de duas empresas que praticam agricultura intensiva e utilizam embalagens de plástico. Basicamente, tudo aquilo que […]