Estação Zootécnica Nacional passa a Centro de Excelência para a Agricultura e Agro-indústria

Estação Zootécnica Nacional passa a Centro de Excelência para a Agricultura e Agro-indústria

A Estação Zootécnica Nacional (EZN), em Santarém, vai passar a ser ‘Centro de Excelência para a Agricultura e a Agro-indústria (CEAAI)’, num investimento de 5,2 milhões de euros que pretende aumentar a investigação e desenvolvimento na área da Lezíria do Tejo, noticia a Lusa esta quarta-feira (14 de agosto).

Num comunicado conjunto da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) e do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), citado pela agência noticiosa, as organizações explicam que este novo Centro de Excelência para a Agricultura e a Agroindústria (CEAAI) terá como objetivo “fomentar a investigação e o desenvolvimento tecnológico nos setores agropecuário, agroalimentar e agrícola”.

O investimento é uma resposta ao diagnóstico realizado pela CIM, no âmbito do Plano Territorial Integrado Lezíria 2020, que identificou, como uma das fraquezas, “a insuficiente rede de infraestruturas I&D (investigação e desenvolvimento) e centros tecnológicos”. A aprovação pelo Programa Operacional do Alentejo de uma candidatura de 5,2 milhões de euros permite agora expandir a Estação Zootécnica Nacional (EZN), em Santarém, para a criação do CEAAI , onde, segundo a CIMLT, se pretende “reunir conhecimentos e competências especializadas e alojar empresas inovadoras”, bem como dotar aquele equipamento de “mais e melhores valências e competências no suporte tecnológico e laboratorial”.

As organizações explicam ainda que a criação deste centro permitirá otimizar os serviços e meios já existentes na estação que, numa área de 240 hectares, concentra infraestruturas de experimentação animal (instalações para animais, unidade de engorda de bovinos, matadouro experimental, unidade de fabrico de alimentos compostos, câmaras bioclimatológicas, cirurgia experimental), laboratórios (nutrição e alimentação, qualidade e segurança dos produtos, biotecnologias reprodutivas, genética molecular), e ainda um Centro de Documentação e Informação ( com três anfiteatros, salas de reuniões e biblioteca).

O processo para a criação do centro começou há quatro anos com a assinatura de um protocolo de cooperação entre estas duas entidades, a Câmara Municipal de Santarém, o Agrocluster da Associação Empresarial da Região de Santarém (NERSANT), o Instituto Politécnico de Santarém (IPS) e a Universidade de Lisboa (UL).

Recorde-se que no passado mês de julho, a Estação Zootécnica Nacional anunciou que vai receber um laboratório colaborativo dedicado à investigação e inovação em alimentação animal. O projeto de dois milhões de euros vai envolver 16 entidades e empregar 30 pessoas, na maioria investigadores.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior GNR desmantela local de abate ilegal de animais em Pêro Pinheiro
Próximo PDR2020: Organizações Interprofissionais

Artigos relacionados

Últimas

EDP pretende instalar 10 mil painéis solares a flutuar nas águas do Alqueva

A EDP-Gestão da Produção de Energia, S.A pretende instalar um Sistema Fotovoltaica Flutuante (SFF) em plena barragem do Alqueva. […]

Últimas

Alterações Climáticas. Não temos 12 anos para minimizar os efeitos, mas apenas 18 meses

Isto afirmou o príncipe Carlos, para muitos um desconhecido no seu tenaz e coerente percurso, desde a adolescência, de defensor do ambiente, […]

Últimas

Furacão Lorenzo: PS aguarda resposta de Bruxelas desde 3 de outubro sobre apoios

Em declarações à agência Lusa, o eurodeputado do PS Manuel Pizarro afirmou que, após o furacão ‘Lorenzo’ ter passado pelos Açores, […]