Espanha. Piores chuvas dos últimos 140 anos arruínam 300 mil hectares de cultivo

Espanha. Piores chuvas dos últimos 140 anos arruínam 300 mil hectares de cultivo

Chuvas torrenciais provocaram seis mortos, deixaram estradas e linhas ferroviárias intransitáveis e provocaram inundações nas regiões de Valência, Múrcia e Andaluzia.

Chuvas torrenciais no sul de Espanha são “situação dramática”

As primeiras estimativas de duas associações agrárias espanholas apontam para uma perda de cerca de 300 mil hectares de cultivo, uma área equivalente à província de Alava.

Segundo a delegação valenciana da Agência Meteorológica do Estado (Aemet) o temporal é o mais grave registado nos últimos 140 anos em Alicante e Múrcia, tendo acalmado desde domingo.

No entanto, as cheias continuam a provocar estragos no sul de Espanha.

Foto: Morell/ EPA

Os meteorologistas chamam “gota fría” ao fenómeno temporal que tem arrasado a “horta da Europa” do sudeste espanhol.

O fenómeno meteorológico acontece quando uma frente de ar polar frio choca com ar quente e húmido do mar Mediterrâneo.

As chuvas torrenciais que persistem em Espanha e já fizeram seis mortos obrigaram a centenas de novas evacuações durante o fim-de-semana, avança o jornal “El País”.

Segundo o Ministério do Interior, cerca de 3.500 pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas por causa do mau tempo no sudeste de Espanha.

Depois de três dias cercados por água, Orihuela (Alicante), com 75 mil habitantes, conseguiu reabrir os canais de comunicação, no domingo.

Ainda é cedo para quantificar os danos causados pelas cheias, a mais catastrófica desde 1879, quando mais de mil pessoas morreram em Múrcia e Orihuela, de acordo com a delegação valenciana da Agência Meteorológica do Estado (Aemet), mas as primeiras previsões não são positivas.

A estimativa inicial da Associação de Jovens Agricultores (Asaja) de Alicante aponta para uma perda de cerca de 150 mil hectares de colheitas de cítricos, vegetais e uvas, entre Elche e Pilar de la Horadada.

Em Múrcia, o Sindicato dos Pequenos Agricultores e Pecuária (UPA) teme que se perca a mesma área que em Alicante, devido à quebra das infraestruturas de irrigação e inundações.

O presidente valenciano, o socialista Ximo Puig, anunciou, este domingo, a sua ideia de reivindicar “uma espécie de plano Marshall” de ajuda às zonas afetadas.

Em Orihuela, onde o presidente se deslocou na quinta-feira da última semana, Puig especificou que o plano deveria incluir o apoio do governo espanhol, da EU e das restantes administrações.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Montado português: plataforma de investigação recebe prémio internacional
Próximo Precisa do curso obrigatório de conduzir e operar com o tractor em segurança? Planeta Informático tem

Artigos relacionados

Últimas

Resende atribui incentivos aos produtores de gado

No âmbito das normas reguladoras de Atribuição de Incentivos à Criação de Gado Bovino Tradicional – Raça Arouquesa e do Gado Ovino e Caprino, […]

Dossiers

O consórcio europeu EIT Food procura as 60 ‘start-ups’ mais inovadoras do setor agroalimentar para acelerar o seu crescimento

No final da aceleração, entre as 60 empresas selecionadas haverá três vencedoras, que receberão um prémio financeiro de até € 100.000 […]

Nacional

Concurso de Queijos da ANIL bate recorde com 210 queijos em competição

As provas de avaliação da 11.ª edição do ‘Concurso Queijos de Portugal’, promovido pela Associação Nacional dos Industriais dos Lacticínios (ANIL), […]