ESAC foi a única instituição nacional a participar presencialmente no Congresso Mundial de Agricultura Biológica

ESAC foi a única instituição nacional a participar presencialmente no Congresso Mundial de Agricultura Biológica

A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC) foi, no âmbito do projeto LIVESEED e através do docente e investigador desta instituição de ensino superior, Pedro Mendes-Moreira, a única entidade portuguesa a garantir presença física no Congresso Mundial de Agricultura Biológica, que teve lugar em Rennes, França.

No congresso, Pedro Mendes-Moreira teve a oportunidade de participar na pré-conferência “Embaixadores de Sementes: Construção de uma Rede Internacional para de Promoção do Desenvolvimento de Sistemas de Produção de Sementes para Agricultura Biológica”, de fazer a apresentação de duas comunicações orais e de moderar uma das sessões.

Refira-se que o Congresso Mundial de Agricultura Biológica se realiza de três em três anos e nele estiveram 1800 participantes on-line, e quase 400 presencialmente, de um total de 50 países diferentes. Foram realizadas 180 sessões com mais de 300 autores e oradores nas sessões plenárias. Esta edição apresentou um formato híbrido, tanto presencial como digital, e permitiu, apesar das atuais condições de pandemia, por intermédio das plataformas criadas para o efeito, manter o maior encontro de agricultura biológica do mundo, assim como a interação e a inclusão dos participantes.

“Os desafios para a Agricultura Biológica, quer para o mundo quer para a Europa, continuam bem presentes e a Escola Superior Agrária de Coimbra está constantemente presente nesses desafios e na procura de soluções, quer através da investigação que realiza, quer através dos seus embaixadores, que são os nossos alunos de Agricultura Biológica”, salienta Pedro Mendes-Moreira, que chama ainda a atenção para o objetivo da Comunidade Europeia que determina que “Até 2030, pelo menos 25% da área agrícola da Europa, deverá estar convertida para Agricultura Biológica” (https://ec.europa.eu/info/food-farming-fisheries/farming/organic-farming/organic-action-plan_en), sendo que para ser atingido este objetivo “100% da semente deve ser semente biológica até ao ano de 2036” (https://www.liveseed.eu/tools-for-practitioners/liveseed-infographics/vision-image-by-2036-100-organic-seed-short-2/).

Aos interessados na área recorda-se que as candidaturas ao Mestrado em Agricultura Biológica da ESAC encontram-se abertas até 18 de outubro próximo.

ensaios esac

Comente este artigo
Anterior Javalis destroem várias culturas e ameaçam espécies no Alentejo
Próximo Africa to push rapid adoption of biotechnology to transform food systems at historic UN Summit

Artigos relacionados

Últimas

PSD quer saber qual a decisão do Governo sobre futuro dos helicópteros Kamov

O PSD questionou o Governo sobre a situação dos helicópteros Kamov, questionando os ministros da Defesa e da Administração Interna se o executivo tem ou não intenção de […]

Últimas

Barragem do Pisão é “o projeto mais importante dos últimos 60 anos” para o Alto Alentejo

O contrato para a realização dos estudos que antecedem a empreitada de construção da Barragem do Pisão, no concelho de Crato (Portalegre), já foi assinado, anunciou a Comunidade […]

Sugeridas

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Agosto de 2019

Breve síntese sobre a evolução da produção e dos preços na agricultura e pescas

As previsões agrícolas, em 31 de julho, […]