Ébola das Oliveiras –  Rafael Martins Morais

Ébola das Oliveiras – Rafael Martins Morais

“Ébola das Oliveiras” chega a Espanha, e deixa agricultores e as autoridades alarmadas. Esta bactéria propaga-se rapidamente e destrói culturas inteiras. As notícias que nos chegam do país vizinho, estão a deixar os produtores de azeite em “estado de alerta”, pois essa mesma bactéria é de rápida propagação, que dízima as oliveiras e outras árvores de fruto.Essa bactéria xylella fastidiosa, foi detectada em 2013 no sul de Itália em apenas 4 anos dizimou culturas inteiras, essa mesma ganhou a alcunha de “Ébola das oliveiras “ .

Os agricultores italianos dizem não saber o que fazer.

No ano passado, em Outubro chegou a ilha espanhola de Maiorca. Embora as autoridades, espanholas tenham garantido aos agricultores, que estava tudo controlado, e que as árvores infectadas estavam isoladas, foram surgindo novos focos da doença em várias cidades e ilhas espanholas.

Segundo o “ El Confidencial”, a xylella fastidiosa “ataca” com grande propagação nefasta o café e as árvores como a oliveira, a amendoeira, a videira, a ameixoeira, o pessegueiro, a laranjeira e o limoeiro. Quando uma árvore é infectada, a bactéria impede a circulação da seiva :as folhas murcham; os galhos secam e a planta acaba por morrer asfixiada.

Como produtores devemos, estar atentos a estes fenómenos, embora ainda não exista cura para essa doença, devemos prevenir com podas sanitárias, e desinfecção dos galhos intervencionado, o ideal seria fazer uma aplicação de oxicloreto de cobre 3 vezes, já testado em Nogueiras, que apresentaram este sintoma.

 

Rafael Martins Morais

Jovem Agricultor/ Gestor Quinta do Val Mon Paz

 

 

Comente este artigo
Anterior Seca antecipa fecho da campanha de rega no perímetro do Caia, no Alentejo
Próximo O robô que vai tratar das vinhas nas encostas do douro

Artigos relacionados

Últimas

Sector agroalimentar – Mais uma oportunidade perdida? – Gonçalo Almeida Simões

Agora que começamos lentamente a entrar na fase de desconfinamento e que o sector agroalimentar ganhou uma nova centralidade, é crucial capitalizar o […]

Últimas

Como deixamos o animalismo sequestrar o debate ambiental? – Carlos Neves

“Alguns usam as estatísticas como os bêbados usam os postes: mais para apoio do que para iluminação” […]

Opinião

Anjo e Demónio: o Javali – João Adrião

Têm, nos nossos dias, um lugar de destaque: os agricultores reclamam medidas urgentes, neles, por essa Europa fora, já foram detectados casos de […]