É tempo de valorizar o seu vinho lá fora.

É tempo de valorizar o seu vinho lá fora.

[Fonte: Vida Rural] Pelo sexto ano consecutivo as exportações de vinho português deverão crescer. Em volume representam quase metade de toda a produção, mas em valor ainda há muito para colher…

Portugal é o 10º exportador de vinhos (OIV), com perto de 300 milhões de litros exportados anualmente, correspondentes a mais de 728 milhões de euros. A pequena dimensão torna difícil competir em volume com a Espanha – que alcançou o topo dos exportadores com o mais baixo preço por litro – o Novo Mundo e até, no futuro, a China. Felizmente o mundo do vinho não se esgota na quantidade.

Fruto do trabalho dos produtores e do setor, a qualidade dos vinhos portugueses tem sido reconhecida pelos principais críticos mundiais. Em 2014 Portugal foi o país que teve maior percentagem de vinhos com 95 ou mais pontos na Wine Spectator. Em 2015, na avaliação que esta revista fez a 17.643 vinhos, nenhum dos 341 vinhos portugueses apresentou uma pontuação abaixo de 80 pontos.

A qualidade por si não basta, há que saber comunicá-la.

Apesar desta qualidade acima da média, o preço médio por litro exportado – 2,50€/L em 2014 – está abaixo da média mundial 2,62€/L (OIV, 2013). E muito longe da França, o maior exportador em valor, com 5,23€/L.

É verdade que os vinhos portugueses têm uma mensagem “complexa” para passar aos consumidores, com cerca de 250 castas, 14 regiões e dezenas de sub-regiões que são desconhecidas para a maioria das pessoas. Mas esta diversidade é também um trunfo, junto a origem no ambicionado “Velho Mundo”

Há perfis de vinhos e histórias para todos os gostos – do “baixo teor de álcool do vinho verde” à intensidade dos famosos vinhos generosos – basta escolher e clarificar a mensagem que mais se adequa a cada mercado.

Descubra as aspirações de cada mercado e prepare-se para colher mais valor

Brasil, Angola, China em busca de status e confiança

O que têm em comum países tão distantes? Todos têm uma classe ascendente que descobriu recentemente o prazer do vinho. O vinho mais desejado é caro, tinto e europeu. A razão é simples: o vinho é um símbolo de status, buscam a sofisticação e o romance que vêm no cinema. Nestes mercados a prioridade é a confiança. A Decanter constata que na China, onde abundam as falsificações, os consumidores suspeitam de rótulos “modernos”. Rótulos tradicionais, origem europeia, acabamentos luxuosos podem ser fatores de sucesso.

Países nórdicos valorizam a sobriedade e sustentabilidade

No mercado escandinavo -Dinamarca, Suécia, Finlândia e Noruega – as vendas estão centradas em monopólios estatais como a rede Alko. Os consumidores de vinho são muito sensíveis ao preço e, ao mesmo tempo, estão preocupados com o impacto social e ambiental dos produtos que compram. A ética protestante recusa a ostentação e prefere a clareza e a simplicidade (pense IKEA). Aposte na imagem limpa, moderna, clara, em garrafa ou em BIB.

Alves Vieira Reserva rótulo - Vida Rural

 EUA e Canadá com sede de descoberta

Na América do Norte ser um vinho do “Velho Mundo” continua a ser um fator muito valorizado. Mas tanto o Canadá como os EUA são mercados jovens e abertos a experimentar novidades. Aqui os vinhos portugueses têm sido bem acolhidos pela crítica. É o caso dos verdes que, pela sua frescura e “baixo teor de álcool” ganharam adeptos. Diferenciar-se pela proposta única, dar a conhecer e saborear castas desconhecidas pode ser o caminho para o coração do consumidor.

 “Mercados da saudade” com orgulho do que é português

Impulsionada por novas gerações de emigrantes, a expor­tação de produtos portugueses para os chamados “mercados da saudade” está a bater máximos históricos e a renovar-se. Hoje, além do clássico bacalhau e azeite, procuram-se pastéis de nata, alheiras gourmet, rissóis, torresmos, atum, café … E vinhos, claro. Em França, Reino Unido, Suíça nascem lojas dedicadas às marcas nacionais. As saudades pedem  marcas portuguesas clássicas,  mas também novas experiências e pela primeira vês assumem o orgulho de ser português.

Para saber mais sobre Wine Marketing e Enoturismo, clique aqui.

O post É tempo de valorizar o seu vinho lá fora. aparece primeiro no Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior E a sua marca, o que quer ser quando for grande?
Próximo O Agroportal está de volta!

Artigos relacionados

Últimas

Semana Gastronómica do Porco em 21 restaurantes de Reguengos de Monsaraz

[Fonte: Gazeta Rural]

Um total de 21 restaurantes do concelho de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, participa desde hoje numa Semana Gastronómica do Porco, organizada pela câmara e que se prolonga até final do mês.
O evento integra a iniciativa “Reguengos à […]

Nacional

Produtores de soja dos E.U.A visitam Portugal para reforçar relações comerciais

[Fonte: Gazeta Rural]

O U.S. Soybean Export Council (USSEC), grupo que representa os produtores de soja norte americanos, está de visita a Portugal para reforçar a ligação com os seus clientes portugueses.Os Estados Unidos da América produzem de forma consistente e inovadora soja nutritiva e de qualidade e contam com o apoio de clientes importantes em países como Portugal. […]

Nacional

Alterações Climáticas e Viticultura trazem especialistas europeus à UTAD

[Fonte: Voz do Campo]

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai receber especialistas de organismos europeus especializados em alterações climáticas e viticultura na Europa. Trata-se da conferência Clim4Vitis – Climate change impact mitigation – que terá lugar no edifício de laboratórios, […]