Director Regional da Agricultura dos Açores reitera importância da certificação dos vinhos

O Director Regional da Agricultura reiterou, no Pico, a importância de os produtores apostarem na certificação dos vinhos produzidos nos Açores, como forma de garantir autenticidade e genuinidade, pois só assim será possível assegurar uma maior valorização das produções e a sustentabilidade de um sector em permanente crescimento.

“O nosso maior desejo é que, nos anos que se avizinham, os produtores locais compreendam quanto importante vai continuar a ser a aposta em vinhos açorianos certificados, pois este é um aspecto absolutamente imprescindível do qual não poderemos nunca abdicar, se quisermos garantir a autenticidade e a sustentabilidade desta actividade, que se torna cada vez mais importante para a nossa economia”, afirmou José Élio Ventura.

Mais de 40 vinhos certificados

Actualmente existem mais de quatro dezenas de vinhos açorianos certificados, cerca de uma dezena de novos vinhos só este ano, da responsabilidade de 21 operadores económicos.

Além de reforçar os mecanismos de controlo da rotulagem das garrafas de vinho, a Região já implementou, com a colaboração da CVR Açores, outra medida de controlo relevante para assegurar a genuinidade dos vinhos certificados, que incide sobre a quantidade e a qualidade das uvas entregues nas adegas, por categoria, nomeadamente Denominação de Origem (DO), Identificação Geográfica (IG) ou outra.

Adeus Vindimas, Olá Vinho

O Director Regional, que falava na quinta edição da festa ‘Adeus Vindimas, Olá Vinho’, organizada pela Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, considerou imperioso continuar a apoiar esta actividade produtiva, considerando que “é pela qualidade e pela diferenciação que teremos sucesso no âmbito do mercado aberto onde nos integramos”.

José Élio Ventura destacou o importante contributo do Laboratório Regional de Enologia, da CVR Açores e, muito particularmente, da Adega Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, que, “ao longo dos anos, tem desenvolvido um papel preponderante, auxiliando, acolhendo e incentivando os seus produtores e associados, num esforço permanente e colectivo para atingir uma cada vez melhor qualidade, diferentes mercados e uma soberba distinção dos vinhos que produz”.

Sector cooperativo

“Iniciativas como esta servem para demonstrar que existe ambição e competência para reforçar a dinâmica do sector do vinho e da vinha e, muito particularmente, do sector cooperativo que, nos Açores como em poucos sítios, tem especial importância”, afirmou, acrescentando que este evento marca também o início das comemorações do 70.º aniversário da fundação da cooperativa.

A vitivinicultura é um sector em permanente crescimento e mudança estrutural nos Açores, com particular destaque na Ilha do Pico, desde logo, pelo aumento do número de produtores e de hectares de vinha já reconvertida.

José Élio Ventura recordou ainda que foi aberto este mês um novo aviso do programa VITIS, cujas candidaturas decorrem até 31 de Janeiro.

Na festa ‘Adeus Vindimas, Olá Vinho’ foram premiados vários produtores de vinho que se distinguiram pelo seu trabalho ao longo do último ano.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Estenfiliose da pêra rocha: conídios por pomar diminuem em todos os pomares monitorizados pelo INIAV
Próximo Agricultura debate fundos comunitários e mercados

Artigos relacionados

Últimas

Previsão de longo prazo – 16 dez. a 12 jan. 2020

Precipitação total e temperatura média semanal com valores acima do normal […]

Nacional

Incêndios. Ano de 2020 com segundo valor mais baixo dos últimos dez anos

Comparando os valores do ano de 2020 com o histórico dos dez anos anteriores, registaram-se menos 54% de incêndios rurais e menos 54% de […]

Últimas

​Portugal vai ter novo plano contra incêndios

Veja também:

Depois de ter estado na equipa que preparou uma proposta, após os trágicos incêndios de 2003-2005, de um plano de defesa da floresta contra incêndios, […]