Desemprego é razão para investir na agricultura e pescas em Angola

Desemprego é razão para investir na agricultura e pescas em Angola

O vice-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) Sherif Khaled disse hoje que a alta taxa de desemprego é uma das principais razões para Angola apostar na diversfiicação, devendo privilegiar a agricultura e pescas.

“Angola está a lidar com uma taxa de desemprego de 30%, e é uma das razões para diversificar a economia, já que o combate ao desemprego provou ser um desafio consistente”, disse Sheirf Khaled, em entrevista à Lusa em Abidjan, à margem da reunião extraordinária de governadores do BAD que aprovou o aumento de capital do banco para 208 mil milhões de dólares.

O banqueiro sustentou que “parte do processo de diversificação tem de servir para ajudar Angola a ser autossuficiente em termos alimentares, não faz sentido o país importar metade dos alimentos que consome”.

Continue a ler este artigo no Correio da Manhã.

Comente este artigo
Anterior Alcácer do Sal: se não chove, as barragens não enchem e quem paga a fatura da água mais cara são os produtores de arroz
Próximo Agricultores: “Não há alternativa” a alojar imigrantes do Mira

Artigos relacionados

Nacional

Baixos níveis de Santa Clara levam associação de regantes a deixar pequenos agricultores e peixes à míngua de água

Autarquias de Odemira e Aljezur consideram “injusta” a decisão tomada pela Associação de Beneficiários do Mira de reduzir os caudais libertados, alegando que estão em risco pequenas […]

Últimas

Aplicação da ação 6.1 “Seguros” da medida 6 “Gestão de risco e estabelecimento do potencial produtivo”

Foi publicada a Portaria n.º 204/2021 que altera a redação da Portaria n.º 18/2015, responsável pela aprovação do regime de aplicação da ação 6.1 «Seguros», da medida 6 […]

Últimas

PM são-tomense anuncia crédito de três milhões de dólares para apoiar agricultura

O Governo são-tomense anunciou hoje que “dentro de uma semana” colocará nos bancos três milhões de dólares (2,5 milhões de euros) para créditos “ao setor primário e agricultura em […]