Delegações de produtores afectados pelos incêndios protestam em Lisboa frente ao ministério da agricultura

Delegações de produtores afectados pelos incêndios protestam em Lisboa frente ao ministério da agricultura

Os afectados com os incêndios entre Julho e Outubro de 2017 consideram insuficientes e mesmo desadequadas as medidas de apoio (umas avançadas e outras anunciadas) pelo Governo, tendo em conta os avultados prejuízos sofridos pelas populações e pelos agricultores em especial.

Muitos e muitos agricultores tiveram dezenas de milhar de euros de prejuízos mas, dadas as exigências tecno-burocráticas e financeiras para apresentar um projeto no âmbito do PDR 2020 – com um total de investimento superior a 5 mil euros – e sem sequer terem a certeza de que esse projeto seria aprovado, várias centenas de agricultores aceitaram a única alternativa que, de facto, o Governo lhes deu e que foi fazerem um pedido “simplificado” de apoio até € 5 000.

E, mesmo nesta situação, certo é que dos cerca de 62 milhões de euros em candidaturas submetidas, foram cortados mais de 10 milhões de euros, portanto houve “cortes” superiores a 16 % do total apresentado em candidaturas deste tipo !

Acresce que muitos dos agricultores que mais cedo submeteram os primeiros registos através da plataforma informática criada para o efeito pelo MAFDR e pelo IFAP, face à pouca informação então dada pelo Ministério da Agricultura, pensarem que isso bastava e agora correm o risco de nada receberem o que é inadmissível.

Só no Distrito de Coimbra arderam cerca de 20.000 hectares de floresta em áreas comunitárias (áreas baldias) , sem que haja qualquer medida de apoio.

Assim próxima Sexta-Feira  dia 2  de  Fevereiro  de 2018 pelas 14H30 a “Comissão de Agricultores e Produtores Florestais afetados pelos Incêndios de  2017” com o apoio da ADACO-Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra, da CNA – Confederação Nacional da Agricultura e  da MAAVIM – Movimento de Apoios ás Vítimas dos Incêndios de Midões, levará a efeito uma concentração de delegações de agricultores e produtores florestais dos vários concelhos afectados , em frente ao MInistério da Agricultura em Lisboa , exigindo que os apoios  cheguem a todos sem excepção.

Há um pedido de audiência ao Senhor Ministro da Agricultura, para as 14H30 no sentido de sabermos das diligências efectuadas por esse Ministério em relação ao nosso caderno de reclamações, que já foi enviado há cerca de 15 dias e que ainda não obteve  qualquer resposta.

Comente este artigo
Anterior Ministro da Agricultura atribui, a título póstumo, Medalha de Honra a Maria Antónia Figueiredo
Próximo Presidente da câmara municipal de alcácer do sal reúne amanhã com ministros da saúde e da agricultura

Artigos relacionados

Últimas

Investimento de €12 milhões faz renascer uma das mais antigas quintas do Douro

[Fonte: Expresso]

A Quinta do Convento de São Pedro das Águias, no Vale do Távora, em Tabuaço, está a renascer no âmbito de um projeto vitivinícola e de enoturismo, com um investimento inicial de 12 milhões de euros, anunciou esta segunda-feira o promotor. […]

Últimas

Agricultura urbana sustentável: a solução para a alimentação?

[Fonte: Vida Rural]

É possível produzir no meio das cidades algumas culturas agrícolas básicas como o milho, garantindo um nível nutricional adequado. A conclusão é de um estudo publicado por uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e mostra que a agricultura urbana que utiliza apenas desperdício alimentar e resíduos verdes como fertilizante pode ser uma solução para nos alimentarmos no futuro. […]

Nacional

A 12 anos de uma potencial catástrofe climática – como recuar da beira do precipício?

[Fonte: Jornal de Negócios]

A temperatura média subiu 1°C desde a década de 1850, mas esse valor pode acelerar rapidamente para 1,5°C nos próximos 12 anos, o que poderia traduzir-se numa perda irreversível de glaciares, e uma subida de subida do nível do mar de vários metros. […]