Defeitos em vinhos são a chave para o reconhecimento de vinhos orgânicos

Defeitos em vinhos são a chave para o reconhecimento de vinhos orgânicos

Centro de Investigação LEAF publicou o artigo “Off-Flavours and Unpleasantness Are Cues for the Recognition and Valorization of Organic Wines by Experienced Tasters” na revista Foods.

O estudo recorreu aos alunos do mestrado em Viticultura e Enologia do ISA e do programa internacional Vinifera Euromaster que provaram os mesmos vinhos em duas sessões, uma com informação que os vinhos eram convencionais e outra onde os vinhos eram tidos como orgânicos. Além destas duas sessões de prova, ainda se realizou uma sessão adicional onde foi pedido aos alunos para adivinharem o modo de produção.

Os resultados demonstraram como a informação condicionou a avaliação, o valor e a descrição dos vinhos. Na sessão dos vinhos “orgânicos” as notas foram mais altas e os alunos estavam dispostos a pagar mais. Na ausência de informação sobre o modo de produção, os alunos usaram os descritores sensoriais relacionados com defeitos de vinhos e uma resposta emocional de desagrado como indicadores da presença de vinhos orgânicos. Ou seja, vinhos sem defeito foram considerados convencionais e vinhos com defeito e desagradáveis foram considerados orgânicos.

Os resultados demonstram o chamado “efeito de auréola” de natureza psicológica, onde a avaliação de um vinho foi mais dependente das ideias pré-concebidas do que das suas características sensoriais. Tal facto está de acordo com as descobertas mais recentes em neurociência onde a emoção é parte integrante do sentido do olfacto.

Que diriam destes resultados, os Professores Émyle Peynaud, da Universidade de Bordèus, e Maynard Amerine, da Universidade de Davis, pioneiros no ensino universitário da Enologia?

Prof. Manuel Malfeito Ferreira

A investigação fez parte da tese de mestrado da aluna Mylena Romano, com a colaboração dos colaboradores do LEAF Mahesh Chandra e Mkrtich Harutunyan. O tratamento estatístico dos resultados foi realizado pelos professores Cristian Villegas e Taciana Savian da faculdade de Agronomia da Universidade Federal de São Paulo. Da equipa responsável por esta publicação fazem também parte a Professora Valéria Minim, da Universidade Federal de Viçosa, que se encontra a realizar um pós-doutoramento sob orientação do Prof. Manuel Malfeito-Ferreira no âmbito do LEAF.

Nuvem de palavras de um vinho tinto considerado orgânico

→ Consulte aqui o artigo ←

Comente este artigo
Anterior PDR2020: Assistência Técnica PDR2020
Próximo Estas 1.114 freguesias têm risco elevado de incêndio. Veja a lista

Artigos relacionados

Comunicados

Criadores de Suínos Bísara apreensivos com decisão da Universidade de Coimbra de proibir consumo carne de vaca

Em COMUNICADO, a Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara (ANCSUB) expressa a sua preocupação com as últimas notícias que surgiram a propósito da Universidade de Coimbra banir o uso de carne de bovino nas suas cantinas universitárias. […]

Dossiers

Estudo da CATÓLICA – LISBON em parceria com a ANIPLA determina que a população portuguesa desconhece realidade agrícola

O Centro de Estudos Aplicados da Católica-Lisbon, School of Business & Economics em parceria com a ANIPLA realizou um estudo à população portuguesa, […]

Últimas

Associação ambientalista critica decisão que permite mais estufas no Alentejo

A associação ambientalista Zero critica a falta de planeamento sobre a ocupação do perímetro de rega do Mira, nomeadamente no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. […]