CULTIVAR – Cadernos de Análise e Prospetiva – A cadeia de valor do setor agroalimentar – nº 13, Setembro 2018

CULTIVAR – Cadernos de Análise e Prospetiva – A cadeia de valor do setor agroalimentar – nº 13, Setembro 2018

A CULTIVAR – Cadernos de Análise e Prospetiva, é publicada periodicamente pelo Ministério da Agricultura, através do GPP. O último número, “A cadeia de valor do setor agroalimentar”, apresenta conteúdos de qualidade e atuais. Saiba mais, neste número, sobre a PAC, cadeira de abastecimento, correção de desequilíbrios, distribuição, fornecedores, ASAE, PSAE, relações negociais, e outros, em relação à cadeira de valor do setor agroalimentar.

→Consulte a Cultivar – Cadernos de Análise e Prospetiva – A cadeia de valor do setor agroalimentar – nº 13, Setembro 2018 aqui←

Comente este artigo
Anterior A nova religião contra o eucalipto
Próximo La Declaración de los derechos de los campesinos ante la Asamblea General de las Naciones Unidas

Artigos relacionados

Cotações ES

Ligeras oscilaciones en los corderos pese a la mejora de la demanda

[Fonte: Agropopular – Cotações]

El mes de abril ha comenzado sin cambios en la cotización los corderos y tan solo se han registrado alguna ligera subida tanto en los animales pequeños como en los más pesados. Según la Lonja del Ebro, […]

Notícias meteorologia

Palestra sobre o Navio de Investigação Mar Portugal

[Fonte: IPMA]

Rotacao de Noticias

Palestra sobre o Navio de Investigação Mar Portugal
2019-03-27 (IPMA)
No passado dia 21 de março o Doutor Nuno Lourenço, vogal do Concelho Diretivo do IPMA, I.P., deu uma palestra sobre o navio de investigação Mar Portugal no auditório das instalações do IPMA, […]

Sugeridas

Como foi o ano de 2017 na lente do Agroportal

O Agroportal despede-se do ano de 2017 com uma retrospectiva dos temas mais relevantes para a comunidade de leitores do Agroportal.
Os indicadores são claros e mostram que o “mercado” é, e ainda bem, o que norteia os nossos agricultores, ou a notícia mais lida não fosse a notícia dos Espargos “Mais houvesse mais se venderia” […]