Covid-19: Governo impõe registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e construção

Covid-19: Governo impõe registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e construção

O Governo aprovou hoje um decreto-lei que estabelece a obrigação excecional e temporária de registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e do setor da construção.

No comunicado do Conselho de Ministros lê-se que “foi aprovado o decreto-lei que altera o regime excecional e transitório de reorganização do trabalho e de minimização de riscos de transmissão da infeção da doença covid-19 no âmbito das relações laborais, estabelecendo a obrigação excecional e temporária de registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e do setor da construção”.

O Governo decidiu hoje decretar situação de calamidade a partir de sábado devido à pandemia de covid-19, depois de Portugal continental ter passado por 15 períodos de estado de emergência, que vigoravam desde 09 de novembro.

A situação de calamidade é o nível de resposta a situações de catástrofe mais alto previsto na Lei de Base da Proteção Civil, depois da situação de alerta e de contingência.

Comente este artigo
Anterior Governo aprova modelo transitório de gestão da rede SIRESP
Próximo RECAMAN, a nova ferramenta para calcular o valor dos recursos naturais

Artigos relacionados

UE - Organizações

CAP reform: Determination and pragmatism versus hubbub and posturing

Farm Europe did not wish to comment on the failure of the negotiations last week, and to add its own accusations to the hubbub of sterile invective on social media. These accusations […]

Nacional

Baixos níveis de Santa Clara levam associação de regantes a deixar pequenos agricultores e peixes à míngua de água

Autarquias de Odemira e Aljezur consideram “injusta” a decisão tomada pela Associação de Beneficiários do Mira de reduzir os caudais libertados, alegando que estão em risco pequenas […]

Últimas

PAN propõe nova lei da caça: uso de cães só com trela ou açaime

Partido quer proibir uso do chumbo nas munições e aumentar para um mínimo de 800 metros a distância entre a zona de caça e áreas de habitação, estradas e indústria. […]