Costa vai apresentar em Bruxelas resultados da cimeira dos “Amigos da Coesão”

Costa vai apresentar em Bruxelas resultados da cimeira dos “Amigos da Coesão”

O primeiro-ministro, António Costa, desloca-se na próxima quarta-feira a Bruxelas para apresentar ao presidente do Parlamento Europeu e outros dirigentes os resultados da cimeira dos “Amigos da Coesão”, que se celebra no sábado em Beja.

Fonte do gabinete do primeiro-ministro indicou à Lusa que, além de uma reunião com o presidente da assembleia europeia, David Sassoli, Costa tem também previstos encontros com os presidentes do Comité das Regiões e do Comité Económico e Social, órgãos consultivos da UE, para dar conta das discussões da reunião de Beja, cujo principal objetivo é reforçar a posição dos Estados-membros contra cortes nesta política no próximo orçamento plurianual da União Europeia.

A cimeira em Portugal terá lugar a pouco mais de duas semanas de uma cimeira extraordinária de chefes de Estado e de Governo da UE, convocada pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, para 20 de fevereiro, na qual os 27 vão tentar “fechar” um acordo sobre o orçamento plurianual da UE para 2021-2027.

Além do anfitrião António Costa, está já confirmada a presença em Beja do Presidente de Chipre e de mais 11 primeiros-ministros, entre os quais o da Croácia, Andrej Plenkovi, país que detém agora a presidência da UE.

Em Beja também vão estar os primeiros-ministros da República Checa, Eslováquia, Espanha, Eslovénia, Estónia, Grécia, Hungria, Malta, Polónia e Roménia, e ainda a comissária da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, e o comissário europeu do Orçamento, Johannes Hahn.

PAN pede a Governo que lute “pela não redução dos fundos” europeus

O porta-voz do Pessoas-Animais-Natureza (PAN), André Silva, apelou esta sexta-feira ao Governo português que interceda para que os fundos europeus não sejam reduzidos, e defendeu um reforço das verbas para a luta contra as alterações climáticas.

“Portugal deve, junto dos restantes países e junto da Comissão e do Conselho, pugnar pela não redução dos fundos da coesão que tão importantes são” para Portugal, afirmou o porta-voz do partido aos jornalistas, na residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa.

O deputado do PAN prestava declarações à comunicação social no final de uma reunião com o primeiro-ministro, o socialista António Costa, no âmbito da Cimeira dos Amigos da Coesão, marcada para sábado, em Beja.

“Fundamentalmente, foi isto que transmitimos ao primeiro-ministro, que deve, não só continuar a lutar para que os fundos que não se reduzam, mas acima de tudo que os recursos próprios possam ter uma outra configuração, e que os estados-membros possam contribuir de uma forma mais efetiva para este equilíbrio financeiro e orçamental”, acrescentou.

André Silva defendeu igualmente que “os fundos para a ação climática devem ser reforçados”, e que “as regras de atribuição dos fundos da Política Agrícola Comum devem ser revistos”, porque “em todo o mundo, mas especialmente na Europa e em Portugal, se continuam a produzir alimentos de forma pouco sustentável”.

“A posição do PAN é que os recursos próprios dos estados-membros possam aumentar naquilo que é o financiamento” dos “países e do orçamento europeu, nomeadamente em matérias que se prendem com o digital, a taxação do carbono, a navegação marítima, o transporte aéreo, a questão das embalagens de plástico”, assinalou André Silva.

O PAN foi o último dos partidos com representação no Parlamento Europeu a ser recebido pelo chefe de Governo, numa ronda de reuniões que arrancou na quinta-feira.

A cimeira em Portugal terá lugar numa altura em que se mantém o impasse em torno das negociações sobre o orçamento da UE para 2021-2027, sendo que o objetivo comum dos 27 é alcançar um acordo até ao final do primeiro semestre, de modo a garantir que não há um hiato na transição entre o quadro atual e o próximo – como sucedeu há sete anos -, o que teria consequências a nível de programação atempada dos fundos.

Esta será a terceira cimeira dos países “Amigos da Coesão”, depois de Bratislava e de Praga, e esta reunião de Beja realizar-se-á a pouco mais de duas semanas da cimeira informal de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, prevista para dia 20 de fevereiro e que foi convocada pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior 83% dos reprodutores bovinos machos de raças puras de carne foram adquiridos em 2019 nos Açores
Próximo Reino Unido deixa a União Europeia a 31 de Janeiro

Artigos relacionados

Últimas

Aumenta la demanda en mandarinas pero los precios se mantienen


Esta semana se han animado un poco más las compras en mandarinas, según la Lonja de Valencia, aunque los precios se mantienen sin cambios entre 18 céntimos de euro y 1 euro por kilo, […]

Nacional

Governo quer um projecto de transformação digital por ministério

Segundo as Grandes Opções do Plano (GOP), o executivo pretende ainda promover a bioeconomia circular, apostando na evolução do perfil de descarbonização da agricultura, […]

Nacional

Torrestir investe 45 milhões de euros em 2019

Em 2018, o grupo Torrestir facturou 200 milhões de euros, «o que representa um forte crescimento em relação a 2017», tendo também criado 200 novos postos de trabalho, […]