Conversa Capital com Eduardo Oliveira e Sousa

Conversa Capital com Eduardo Oliveira e Sousa

[Fonte: RTP notícias]

Estratégia
O novo presidente da CAP pede que a agricultura seja considerada como um setor estratégico para o pais.
Na primeira entrevista desde que assumiu o cargo no dia 19 de Abril, Eduardo de Oliveira e Sousa, refere que “o setor precisa de sentir que há uma estratégia para o pais definida de cima a abaixo que transmite confiança e orientação”.

Florestas
Dá como exemplo de áreas prioritárias o regadio e a reforma das florestas. Para o novo presidente da CAP não faz sentido que a gestão da floresta seja dividida pelos 278 concelhos! Adianta que o Conselho Económico e Social “está preocupado” e “vai emitir um parecer”.

Fundos
Eduardo de Oliveira e Sousa denuncia ainda a situação de paralisia que se vive na atribuição dos fundos comunitários ao sector. Revela que há projetos com 2 anos de atraso e pede ao ministro da Agricultura, com quem ainda não reuniu, que o assunto seja “objeto de uma medida rápida”.

“A seca veio para ficar.
Daqui a um mês, os animais vão começar a passar mal nas zonas de pastoreio.
A campanha de cereais de inverno está comprometida.”

Seca
Relativamente à situação de seca que se vive em Portugal, o presidente da CAP traça um cenário mais grave do que aquele que é divulgado pelo Instituto do Mar e da Atmosfera.
Eduardo de Oliveira e Sousa considera que “a seca veio para ficar” e que no que toca à agricultura, “Portugal está a viver um período de seca permanente”. Por isso defende que para ter interesse económico a agricultura tem de ter regadio e maior capacidade de armazenamento de água quando chove.

Pastoreio
Quanto aos efeitos da seca que se registou em Abril, a pior dos últimos anos, Eduardo de Oliveira e Sousa denuncia que as reservas de forragem para os animais estão a acabar, “daqui a um mês os animais estão a passar mal nas áreas de pastoreio”.

Sequeiro
As culturas de sequeiro, dos cereais de inverno também estão comprometidas e Portugal vai registar os piores valores de produção dos últimos 30 anos.

Medidas
Dai que a Associação Nacional de Produtores de Cereais já tenha pedido ajuda ao ministro para introduzir algumas medidas que possam reduzir o problema.

→Oiça aqui a conversa completa

Comente este artigo
Anterior Distribuição alimentar. No futuro será mais digital e personalizada
Próximo El precio de la fresa, un 30 % más alto esta campaña

Artigos relacionados

UE - Instituições e EM

Farm Europe welcomes the decision of Comagri Members to take sufficient time to improve the CAP reform proposals

[Fonte: Farm Europe]
Yesterday, the MEPs in charge of the CAP reform within the AGRI committee of the European Parliament decided that the debate on the reform of the CAP will not go beyond Comagri’s position during the current legislature.
Farm Europe fully understand this decision considering the challenges raised by the Commission’s proposals, […]

Últimas

KUHN – de 1828 a 2018: 190 Anos de Excelência.

[Fonte: Auto-Industrial]
Fundada em 1828 na Alsácia, no coração da Europa, a marca Kuhn tem-se tornado progressivamente uma referência no sector das máquinas agrícolas, resultado do seu contributo ativo e sustentável para a modernização dos negócios agrícolas em todos os continentes.
Muitas das maiores inovações foram desenvolvidas pelo Grupo Kuhn. […]

Últimas

Anadia aprova por unanimidade plano de defesa da floresta contra incêndios

[Fonte: Gazeta Rural]

Facebook
Twitter
Google+
Pinterest
WhatsApp


A Assembleia Municipal de Anadia aprovou, por unanimidade, o novo Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), que define novas regras de limpeza das faixas de gestão de combustíveis. […]