Continente privilegia frutas e legumes nacionais da época

Continente privilegia frutas e legumes nacionais da época

O Tomate Redondo do Algarve, Oeste e Litoral Norte, as Nectarinas e o Melão Branco do Alentejo e Ribatejo e a Melancia Preta Sem Sementes do Algarve, Alentejo e Ribatejo são os produtos estrela da campanha de Frescos do Continente, que arrancou esta semana, e que destaca as frutas e legumes nacionais da época à venda nas lojas Continente.

“As nossas frutas e legumes chegam ao Sabor da Natureza” é o conceito da campanha dedicada aos produtos frescos do Continente e que está no ar até 11 de julho, reforçando que as frutas e os legumes nacionais à venda nas lojas Continente estão sempre no ponto ótimo de consumo, ou seja, quando são mais saborosos e com melhor qualidade. A par disso, o facto de serem produzidos localmente, contribui para sistemas alimentares mais sustentáveis, através de cadeias curtas de abastecimento e desenvolvimento da economia local e regional.

Este é o 3º filme da campanha de Frescos Continente e que tem como objetivo transmitir o respeito da marca pela natureza, pela sua sazonalidade e pelas práticas sustentáveis, que garantem a qualidade e o sabor dos produtos frescos – carne, peixe, fruta e legumes – à venda nas lojas Continente e sempre ao preço mais baixo. O filme de TV é uma viagem aos vários locais do nosso país, de onde são originários os produtos frescos, com locução de Eduardo Rêgo, a conhecida voz dos documentários sobre natureza e vida selvagem. A campanha multimeios é da autoria da Fuel.

“Seguindo a linha do conceito criado para esta campanha – um conceito que dignificasse toda as categorias da nossa oferta de frescos, que mostrasse o respeito pela Natureza, pela sazonalidade, pelas práticas sustentáveis e naturais, garantindo a melhor qualidade e o melhor sabor dos alimentos – lançamos agora a terceira vaga de comunicação dedicada às frutas e legumes” revela Tiago Simões, Diretor de Marketing da Sonae MC, sobre a nova campanha.

 “Ao longo dos últimos anos é reconhecida uma evolução favorável da venda de produtos frescos nas lojas Continente. Este crescimento de vendas decorre, em primeiro lugar, da aposta na qualidade dos produtos que são comercializados nas lojas Continente e que resultam do trabalho de parceria que a Sonae MC realiza, desde há muitos anos, com os produtores portugueses”, continua o responsável da Sonae MC.

Em 2021 o Continente vai incrementar a compra de tomate a produtores nacionais em 3% face a 2020, com a aquisição de 2 mil toneladas de tomate redondo nacional para serem vendidas em todas as lojas da marca até outubro, e vai ainda adquirir a produtores nacionais mais 32% de Nectarina, mais 17% de Melancia Preta e mais 6% de Melão Branco, comparando com o ano anterior.

Para além do contributo económico, ao escolhermos frutas e legumes nacionais da época, tiramos maior partido dos seus benefícios nutricionais. O tomate tem baixo valor energético e baixo teor em açúcares, mas tem alto teor em fibra. É fonte de vitamina C e potássio pelo que constitui uma excelente opção para acompanhar refeições ou mesmo como snack em outras alturas do dia. Sendo rico em licopeno, uma substância natural com um alto poder antioxidante, protege as células das oxidações indesejáveis.

A Nectarina é fonte de vitamina E, uma vitamina antioxidante, que ajuda a proteger as células contra as oxidações indesejáveis. Para além de ser rica em fibra, tem também um alto teor em vitamina C, uma vitamina que contribui para a redução do cansaço e da fadiga e ajuda a manter o normal funcionamento do sistema imunitário, incluindo durante e após o exercício físico intenso.

A Melancia Preta sem sementes tem baixo valor energético e é rica em fibra. Constituída por 93% de água é um fruto típico de verão – refrescante, saboroso e muito hidratante. A Melancia Preta sem sementes é crocante e muito doce. Já o melão branco terá sempre e consistentemente uma polpa macia, sumarenta e doce. Com baixo valor energético é uma excelente fonte de fibra, Vitamina A e rico em vitamina C.

“A pandemia reforçou a importância de comprar nacional ou local e, consequentemente, de dar mais ênfase às cadeias curtas de abastecimento. No entanto, a produção local sempre foi um dos eixos de atuação do Clube de Produtores Continente, explica Tiago Simões.

O objetivo do Clube de Produtores Continente é disponibilizar produtos nacionais de excelência aos clientes, resultantes de um trabalho de parceira com os produtores, com suporte em conhecimento técnico-científico e que permite alinhar a oferta às tendências de consumo. É também aposta do Clube o apoio à produção local, a produtores de pequena escala, conseguindo abastecer algumas lojas da cadeia de retalho Continente, traduzindo-se numa oferta de “Produtos da Região”.

Comente este artigo
Anterior Relatório: Apoio excecional aos produtores de leite da UE entre 2014 e 2016 - A eficiência futura pode ser melhorada
Próximo Avisos Agrícolas 23/06/2021: Vinha, Mirtilos, Pomóideas, Nogueira, Batateira e Tomateiro

Artigos relacionados

Últimas

O regadio e a sustentabilidade agroambiental: Economia circular – 8 de novembro – Coimbra

É objetivo do seminário destacar os principais desafios para o desenvolvimento sustentável para Portugal […]

Nacional

PCP critica intenção de retirar à DGAV parte das competências do bem-estar animal

O PCP vai chamar a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e outros responsáveis ao Parlamento por aquilo que considera o  […]

Últimas

Incêndios: Ministro nega “falta de transparência” na aplicação de fundo europeu

Nelson de Souza foi chamado à Comissão dos Assuntos Europeus pelo PSD, que queria saber como e onde têm sido utilizados os 50,6 milhões de euros (ME) atribuídos através do Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUC) para ajudar na reconstrução pelos incêndios de junho e de outubro de 2017, […]