Continente compra 12 milhões de toneladas de produtos nacionais

Continente compra 12 milhões de toneladas de produtos nacionais

 

Na semana em que se assinala o Dia da Produção Nacional, celebrado a 26 de abril, o Continente revela que, em 18 anos de atividade, o Clube de Produtores Continente adquiriu 12 milhões de toneladas de produtos nacionais, no valor de três mil milhões de euros, que refletem a dimensão e importância da plataforma. Em 2016, a iniciativa comprou 144 mil toneladas de produtos nacionais, no valor de 250 milhões de euros.

 O objetivo do CPC é alavancar os produtos nacionais, através da promoção de parcerias estratégicas entre os produtores e o Continente, reforçando a competitividade dos seus produtos por forma a que a oferta seja de excelência. No universo de produtores, contam-se cerca de 185 produtores-parceiros –  entre organizações de produtores e agricultores individuais –  das áreas de frutas e legumes, charcutaria, padaria e pastelaria, carne e peixe.

Entre as vantagens do Clube de Produtores Continente para o produtor, destaca-se a garantia do escoamento da produção, o aconselhamento técnico, a programação e planeamento da produção, as visitas de trabalho, a interação com um Conselho Científico, composto por investigadores de relevo, e a representatividade junto de entidades oficiais.

Das várias iniciativas que estão a ser implementadas, destaca-se a criação da Academia do Clube de Produtores, um programa de capacitação dos produtores Continente, desenvolvido em parceria com a Sonae Retail School, no qual os produtores convidados recebem formação nas áreas de produção, qualidade, logística, mercado e consumo, numa abordagem de parceria estratégica. A valorização dos produtos regionais e dos seus produtores é também um dos projetos que o Clube de Produtores Continente está a desenvolver, no sentido de dar visibilidade aos produtores de cada região e dar oportunidade para estes estabelecerem uma relação direta com os clientes que procuram produtos locais.

Declarações:

Ondina Afonso, Presidente do Clube de Produtores Continente, afirma que

“Estamos a atuar cada vez mais de perto dos produtores e assim a consolidar a nossa relação com cada um deles. Ambicionamos ser a plataforma de referência entre a produção nacional e a grande distribuição, um compromisso que só é possível graças ao apoio que temos vindo a dar aos produtores, especialmente, nas questões de competitividade, de dimensão, de inovação, de qualidade e de segurança alimentar. Para tal, temos, por exemplo, disponível um conselho científico e um conjunto de investigadores especializados, para criar as melhores soluções e levarem às origens o seu conhecimento e a tecnologia necessária para aperfeiçoar os negócios dos produtores. É esse o caminho que queremos fazer com eles.”.

Comente este artigo
Anterior Lanzan un aceite de oliva virgen extra en envase para niños para impulsar el consumo entre ellos
Próximo El nuevo Plan de Cantabria contra el lobo: se seguirá cazando y se pagará todos los daños que cause

Artigos relacionados

Sugeridas

IFAP tem nova direção para agilizar distribuição dos fundos comunitários

[Expresso] Mário Centeno assinou o despacho de dissolução do anterior conselho diretivo no final da semana passada. Nova direção estreou-se esta segunda-feira para resolver os problemas da plataforma informática que gere a submissão das candidaturas às ajudas comunitárias para os sectores da agricultura e das pescas. […]

Últimas

Estudo internacional: Eucalipto provoca dramática redução da biodiversidade do território

[Fonte: Agricultura e Mar]
Os eucaliptais geram autênticos “desertos” à sua volta, provocando uma dramática redução da biodiversidade do território. A conclusão é de um estudo internacional, no qual participou o investigador Daniel Montesinos, do Centro de Ecologia Funcional da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC). […]

Últimas

Preços dos alimentos aumentaram em 2017 e produtos lácteos foram os que mais subiram

[Fonte: Açoriano Oriental]

Os preços mundiais dos alimentos aumentaram 8,2% em 2017 em relação a 2016, sobretudo o leite, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O índice da agência da ONU registou uma média de 174,6 pontos em 2017, […]