Confederação Europeia das Indústrias de Madeira quer criar certificação de sustentabilidade

Confederação Europeia das Indústrias de Madeira quer criar certificação de sustentabilidade

A recém-criada Confederação Europeia das Indústrias de Madeira (ETIC, na sigla inglesa) quer criar uma plataforma de certificação onde o consumidor final possa verificar se os princípios de sustentabilidade foram respeitados durante a produção, disse à Lusa o diretor-geral.

“Uma plataforma de certificação é um sistema onde todos os produtos de base de madeira podem ser certificados e o cliente final tem não apenas a possibilidade de fazer o rastreamento perfeito do produto, mas também assegura que toda a fase de processamento, desde o corte da madeira à embalagem, foram realizadas no pleno respeito de todas as certificações necessárias e no respeito dos princípios de sustentabilidade”, disse à Lusa o diretor-geral da ETIC, Patrizio Antonicoli, no Dubai, onde está a decorrer a mostra The Hotel Show Dubai, onde Portugal está representado com produtos de mobiliário e decoração.

A ETIC foi oficialmente formada há poucas semanas, em Bruxelas, e tem como presidente Vítor Poças, que é também o presidente da Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP), que está a promover uma missão de negócios com 25 empresários do setor, igualmente no Dubai.

“O âmbito principal da confederação é representar a indústria institucionalmente perante as autoridades europeias, mas também, por outro lado, poder fornecer-lhes serviços concretos”, como a plataforma de certificação, explicou Patrizio Antonicoli.

Até ao momento, França, Bélgica, Portugal e Polónia são alguns dos países que já se associaram à ETIC, mas o processo não está ainda fechado, uma vez que os estatutos da confederação permitem a adesão de novos membros como fundadores nos seis meses seguintes à sua formação.

Em “lista de espera” estão outros países, como Itália, Espanha ou Bulgária, explicou o diretor-geral.

“Há outras organizações associativas europeias, mas nenhuma representa toda a fileira, nem a nível geográfico, nem a nível sub sectorial. Nós temos essa ambição”, sublinhou o diretor-geral da ETIC.

“Recebemos um pedido do Conselho Mundial de Madeira Tratada, que tem sede nos Estados Unidos, em Washington, e pediram a possibilidade de ter algum tipo de parceria e isso é algo que estamos a considerar, porque o tratamento de madeira é uma das peças importantes da cadeia de valor do trabalho de madeira”, acrescentou o responsável.

A ETIC vai realizar em breve a sua primeira assembleia-geral, onde serão aprovados os primeiros passos para a operação da confederação.

“Depois vamos ligar o motor que está agora a aquecer, vamos pôr a primeira mudança e começar a nossa jornada”, afirmou Antonicoli.

Comente este artigo
Anterior PortugalFoods promove webinar dedicado à embalagem do futuro
Próximo Incêndios: Governo quer SIRESP a funcionar sem falhas

Artigos relacionados

Opinião

Conhecer o mundo rural: uma consequência da pandemia – Marisa Costa

A pandemia obrigou-nos a reajustar os nossos hábitos, as nossas prioridades e os nossos momentos de lazer. A expressão “não tenho tempo” não fez parte do nosso léxico desde que a pandemia […]

Últimas

Inventário Florestal Nacional será publicado em breve

O Inventário Florestal Nacional já está concluído e deverá ser publicado em breve. A notícia foi avançada por Luís Capoulas Santos, […]

Últimas

Pedrógão Grande. Plano de prevenção de fogos foi chumbado quatro vezes

Entre 2015 e 2019, o Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Pedrógão Grande foi chumbado quatro vezes pelo Instituto da Conservação da Natureza e Floresta (ICNF). […]