Comitiva da ESAC esteve em missão em Moçambique

Comitiva da ESAC esteve em missão em Moçambique

Uma comitiva da Escola Superior Agrária do Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC) deslocou-se a Moçambique para a missão de avaliação intercalar do projeto “Enhancing community and market oriented TVET programmes in agriculture in the northern region of Mozambique through interdisciplinary evidence generating approach with focus on food and nutrition security” – OKP-MOZ-104288, no qual a instituição de ensino superior está envolvida desde a fase de conceção. A missão decorreu de 1 a 21 de agosto, nas províncias de Nampula (distritos de Nampula e de Ribáuè) e Niassa (distritos de Lichinga e de Majune), tendo integrado esta comitiva os docentes Daniela Santos, Isabel Dinis e João Noronha.

Em concreto, a missão consistiu em visitas aos Institutos Agrários de Ribáuè, Lichinga e Majune e às respetivas Comunidades de Práticas (CoP), que reúnem as comunidades locais rurais, os professores e profissionais dos institutos de formação agrícola, das faculdades de ciências agrárias da Universidade de Lúrio e da Universidade Católica de Moçambique (UCM). Estas CoP envolvem também estudantes no desenvolvimento e disseminação de conhecimentos baseados nas evidências das práticas aplicadas.

No terreno, a comitiva ficou agradavelmente surpreendida com a qualidade do trabalho que encontrou já implementado, com o nível de compreensão das comunidades em relação aos objetivos do projeto e com a elevada motivação e envolvimento de todos os beneficiários (institutos agrários, universidades e respetivos estudantes). Os momentos partilhados com a equipa do projeto foram cruciais para definir a calendarização e operacionalização do futuro intercâmbio entre docentes, técnicos e estudantes das instituições parceiras, para reforçar a componente formativa e atualizar os seus curricula, bem como para estreitar as relações institucionais na partilha contínua através de projetos que, à semelhança deste, permitam o desenvolvimento da investigação aplicada em agricultura sustentável.

Recorde-se que o projeto é liderado pela Universidade Lúrio (Moçambique) e pela Universidade de Groningen (Holanda) e conta com financiamento da NUFFIC (Dutch Organisation for Internationalisation in Education), no valor de aproximadamente 1 milhão de Euros. Os objetivos do projeto são a melhoria da qualidade de vida das comunidades rurais através do estímulo ao empoderamento e autonomia, gestão sustentável dos recursos de produção, aumento da diversidade e segurança alimentar para melhor qualidade nutricional, culminando com a atualização dos curricula dos estudantes, que deverão passar a integrar programas com as práticas desenvolvidas nas comunidades locais de agricultores destas províncias do norte de Moçambique.

Enquanto entidade parceira, a principal função da ESAC consiste na partilha da sua experiência técnica e científica na área da agricultura com os parceiros moçambicanos, constituindo-se o uso da língua comum aos dois países, o português, uma mais-valia na concretização do projeto.

Comente este artigo
Anterior Cost of crop protection measures
Próximo Agroglobal já não vai ser o grande exemplo para a Feira da Agricultura - Joaquim Emídio

Artigos relacionados

Nacional

Morreu agricultor Carlos Empis

Morreu esta sexta-feira aos 76 anos o forcado Carlos Empis, vítima de uma queda enquanto lavava o carro na garagem de um amigo em Muge, Salvaterra de […]

Fitotema

Entrevista a Luís Alcino Conceição: “Conservar os recursos, reduzir o impacto”

Quais são as tecnologias emergentes na aplicação de produtos fitofarmacêuticos e quando farão parte da “caixa de ferramentas” dos agricultores portugueses? […]

Nacional

Prioridade da cerca sanitária em Odemira «é a saúde pública e a resposta à pandemia»

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou que a «prioridade absoluta» da cerca sanitária decretada pelo Governo em duas freguesias do concelho de Odemira «é a […]