Comissário garante ter sido mediador e facilitador nas rondas da PAC

Comissário garante ter sido mediador e facilitador nas rondas da PAC

O comissário europeu para a Agricultura, Janusz Wojciechowski, garantiu hoje que o seu papel nas negociações da política agrícola comum (PAC) é o de “mediador e facilitador”, sublinhando ser impossível “total neutralidade” porque as propostas são da Comissão.

“É muito difícil avaliar-me a mim próprio no âmbito destas negociações, obviamente que o papel da Comissão é o de funcionar como mediador, facilitador e não me parece que esse papel possa ser exercido com total neutralidade, uma vez que há objetivos a atingir”, disse, em conferência de imprensa no final do Conselho de Agricultura da União Europeia (UE).

Wojciechowski respondia a afirmações do presidente da Comissão de Agricultura do Parlamento Europeu (PE), Norbert Lins, que pediu uma análise “nos próximos dias e semanas” ao papel de moderador do executivo comunitário, defendendo que pode ser melhorado.

“A reforma da PAC é uma proposta da Comissão, o Pacto Ecológico e a Estratégia do Prado ao Prato, bem como as propostas no âmbito da biodiversidade, são da autoria da Comissão, o Parlamento aceitou e os Estados-membros também viram com bons olhos aquilo que nós propusemos”, disse o comissário.

“Alguém pode ficar com uma ideia errada da situação, mas reitero que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para chegar a um acordo, respeitando a posição de todas as partes”, acrescentou ainda, adiantando que o seu papel é também o de fornecer todas as informações e dados necessários “para que a melhor decisão possível seja tomada”.

As negociações para um acordo entre o PE e o Conselho da UE, sob presidência portuguesa, sobre a nova PAC 2021-2027 foram hoje interrompidas pela presidência portuguesa do Conselho da UE pela impossibilidade de se chegar a um acordo.

A ministra Maria do Céu Antunes comprometeu-se em recomeçar na segunda-feira os trabalhos com vista a um acordo em junho.

No próximo mês estão marcados dois conselhos de agricultura, sendo apenas no formal, em 28 e 29, no Luxemburgo, se poderá fechar a negociação.

A reunião informal de 14 e 15 de junho será uma oportunidade para se fazer um balanço da situação e haver uma troca de informações entre os 27.

A nova PAC estará em plena execução em 01 de janeiro de 2023, vigorando este ano e no próximo um regulamento transitório.

Comente este artigo
Anterior Pedrógão Grande: PS e PSD trocam acusações após inquérito parlamentar aos apoios
Próximo Presidência portuguesa está empenhada em construir um acordo para a reforma da PAC no mês de junho

Artigos relacionados

Últimas

Feira de Queijos do Continente promove mais de 30 produtores nacionais

A Feira Queijos de Portugal do Continente, que começa hoje em todas as lojas da marca em território continental, junta mais de 30 produtores […]

Dossiers

Una PAC que no discrime en el reparto de ayudas por hectárea, que reconozca las explotaciones lácteas y familiares y sin derechos históricos

Los principales sindicatos agrarios en Galicia (Unións Agrarias y Sindicato Labrego) han pedido este viernes al ministro de Agricultura, Luis Planas, en su visita oficial a la región, que la comunidad gallega no sea discriminada en el reparto de […]

Últimas

A aposta da Sogrape nos três pilares da Sustentabilidade

João Vasconcellos Porto, Diretor de Viticultura da Sogrape, foi um dos oradores do AgroIn 2019 e à VIDA RURAL revela de que forma a companhia tem apostado nos três pilares da Sustentabilidade. […]