Comissão publica lista de 20 pragas de combate prioritário. Xylella fastidiosa é a que tem maior impacto na agricultura

Comissão publica lista de 20 pragas de combate prioritário. Xylella fastidiosa é a que tem maior impacto na agricultura

A Comissão publicou hoje, 11 de Outubro, uma lista de 20 pragas de quarentena regulamentadas consideradas como pragas prioritárias, incluindo a Xylella fastidiosa, o escaravelho japonês, o escaravelho asiático, o enverdecimento dos citrinos e o ponto preto dos citrinos, cujo impacto económico, ambiental e social no território da UE é de maior gravidade.

Selecção de pragas

A selecção de pragas baseia-se na avaliação efectuada pelo Centro Comum de Investigação da Comissão e pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos, que tem em conta a probabilidade de propagação, o estabelecimento e as consequências dessas pragas para a União. Foram também tidos em conta os pontos de vista de um grupo especifico de peritos e as reacções do público transmitidas através do portal Legislar Melhor.

Xylella fastidiosa, a praga com maior impacto

A nova metodologia mostra, por exemplo, que a bactéria Xylella fastidiosa, a praga com maior impacto nas culturas agrícolas, incluindo os frutos, poderia causar perdas anuais de produção de 5,5 mil milhões de euros, afectando 70% do valor de produção da UE das oliveiras mais velhas (com mais de 30 anos) e 35 % das mais jovens, num cenário de propagação da bactéria por toda a UE.

Além dos impactos directos na produção, as pragas têm efeitos indirectos significativos numa vasta gama de sectores económicos a montante ou a jusante. Por exemplo, a eventual propagação por toda a UE do escaravelho asiático (Anoplophora glabripennis) poderia resultar na perda directa de mais de 5% das árvores em crescimento de várias espécies florestais da UE, tais como o amieiro, o freixo, a faia, a bétula, o ulmeiro, o bordo ou o plátano.

Estas árvores estão avaliadas em 24 mil milhões de euros e o impacto económico no sector florestal a montante poderia ascender a 50 mil milhões de euros.

Estados-membros obrigados a lançar campanhas de informação

Os Estados-membros terão de lançar campanhas de informação junto do público, realizar prospecções anuais e preparar planos de contingência, exercícios de simulação e planos de acção para a erradicação destas pragas.

Congratulando-se com a adopção desta lista, o comissário Vytenis Andriukaitis, responsável pela Saúde e Segurança dos Alimentos, afirmou que “a fitossanidade tem ocupado um lugar importante na ordem de trabalhos do meu mandato nos últimos cinco anos. É por esta razão que me congratulo particularmente com esta definição de prioridades, que ajudará a UE e os Estados-membros a aumentar o grau de preparação e a tomar medidas rápidas contra pragas de vegetais muito perigosas, bem como a contribuir para o acordo ecológico europeu, protegendo a nossa biodiversidade, os ecossistemas naturais e a agricultura da UE”.

Por sua vez, Tibor Navracsics, comissário da Educação, Cultura, Juventude e Desporto, responsável pelo Centro Comum de Investigação, afirmou que “para proteger eficazmente as nossas plantas e a qualidade de vida dos nossos cidadãos, precisamos, em primeiro lugar, de ter em conta o impacto nocivo na nossa economia, no ambiente e na sociedade provocado por pragas como o escaravelho japonês ou a mancha negra dos citrinos. Graças a um novo indicador concebido pelo Centro Comum de Investigação, podemos agora estimar os danos causados por estas pragas em vários domínios, incluindo os menos tangíveis, como o património paisagístico e cultural ou a biodiversidade e os ecossistemas. Foi-nos assim possível identificar as 20 pragas mais agressivas nas quais devemos concentrar os nossos esforços”.

Lista de pragas prioritárias:

  • Agrilus anxius Gory
  • Agrilus planipennis Fairmaire
  • Anastrepha ludens (Loew)
  • Anoplophora chinensis (Thomson)
  • Anoplophora glabripennis (Motschulsky)
  • Anthonomus eugenii Cano
  • Aromia bungii (Faldermann)
  • Bactericera cockerelli (Sulc.)
  • Bactrocera dorsalis (Hendel)
  • Bactrocera zonata (Saunders)
  • Bursaphelenchus xylophilus (Steiner et Bührer) Nickle et al.
  • Candidatus Liberibacter spp., agente causal da doença de Huanglongbing dos citrinos/enverdecimento dos citrinos
  • Conotrachelus nenuphar (Herbst)
  • Dendrolimus sibiricus Tschetverikov
  • Phyllosticta citricarpa (McAlpine) Van der Aa
  • Popillia japonica Newman
  • Rhagoletis pomonella Walsh
  • Spodoptera frugiperda (Smith)
  • Thaumatotibia leucotreta (Meyrick)
  • Xylella fastidiosa (Wells et al.)

Para mais informações clique aqui.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Galicia estará entre las primeras CCAA que pagará los anticipos de la PAC
Próximo Nueve CCAA han solicitado los fondos para abonar los anticipos de la PAC a partir del 16 de octubre

Artigos relacionados

Últimas

Cimeira europeia: António Costa à procura de €2 mil milhões na Coesão

Suécia e Holanda pedem cortes maiores na política de coesão. O desafio de António Costa é o de não perder o que está em cima da mesa e somar-lhe […]

Últimas

Governo diz que suspensão de diploma de terras sem dono pela AR inviabiliza reforma florestal

O Governo defendeu nesta terça-feira que a suspensão por dez anos do decreto de lei das terras sem dono põe em causa a reforma da floresta e apelou, […]

Últimas

Milho, arroz e batata, as grandes culturas da Mondego Agrícola

Foi com objetivo de fazer a ligação entre os agricultores e as empresas fornecedoras de fatores de produção, assim como congregar as principais entidades que colaboram com o setor agrícola da Região Centro, […]