Com a edição de 2021 terminou um ciclo Agroglobal!

Com a edição de 2021 terminou um ciclo Agroglobal!

Passados 12 anos e 9 edições, todas as empresas, organizações e pessoas que as tornaram possíveis têm razões para estar satisfeitos:

– A Agroglobal contribuiu para a dignificação e reconhecimento do setor agrícola. Demonstrou uma dimensão tecnológica e profissional, que a muitos surpreendeu, bem como o esforço de investimento e modernização que foi efetuado para uma utilização mais eficiente dos recursos.

– Constituiu um espaço insubstituível de partilha de informação e conhecimento entre empresas gerando negócio e criando valor. Aproximou o poder político, mais empresas, mais investidores e com todos eles novas “cabeças” e novas ideias, criando uma espiral de crescimento com resultados evidentes.

– Debateu temas importantes para o setor identificando dificuldades e propondo soluções. Na primeira linha sempre a produção de alimentos e o combate à fome como um dos “objetivos centrais de desenvolvimento sustentável”, assuntos esquecidos pelos adeptos de uma agro-ecologia “pesada”.

– Afirmou os contributos múltiplos da atividade agrícola. Económicos, mas também de ocupação do interior e manutenção do território que, sendo um discurso de muitos, são na realidade um, quase, exclusivo agro-florestal.

Esta Agroglobal só foi possível com o enorme empenho do tecido empresarial e a confiança, nalguns casos cumplicidade, que este teve na organização. Fomos um bloco unido e orgulhoso! Em conjunto, “nós semeámos”.

A todas as empresas e a cada uma delas o nosso MUITO OBRIGADO!

Esta relação criou à organização a responsabilidade de não defraudar o setor e preparar o futuro. Um futuro fiel à personalidade da Agroglobal, mas com ideias e pessoas novas para que possa continuar a sua trajetória de crescimento e de partilha das enormes responsabilidades que recaem sobre este setor.

É difícil por tudo o que nos proporcionaram nesta “aventura”. Mas não poderia ser de outra forma, em tempo útil, porque a isso obrigam os ciclos da vida.

O CNEMA é a instituição certa para liderar a nova fase da Agroglobal. Será talvez diferente mas, com a colaboração de todos, esta ex-organização incluída, manterá bem vivo o “espírito Agroglobal” qualquer que seja o espaço físico onde se realize.

Longa vida à Agroglobal!

Fonte: Agroglobal

Comente este artigo
Anterior “A água é uma questão crítica para o equilíbrio do território”
Próximo Conversas Agroglobal - 19 outubro 2021

Artigos relacionados

Nacional

Black Week Jungheinrich: PROFISHOP em Portugal com preços especiais

A PROFISHOP, loja online da Jungheinrich Portugal, que actua na área da intralogística, está a levar a cabo a “Black Week,” […]

Últimas

Identificada primeira transferência de genes de uma planta para um inseto

Mosca-branca-do-tabaco utiliza um gene roubado para evitar as defesas da hospedeira. A descoberta apresenta-se muito relevante para o controlo de pragas. […]

Dossiers

Conselho de Agricultura da UE estabelece reforma da PAC e bioeconomia como “prioridades”

O Conselho de Agricultura da União Europeia reuniu esta segunda-feira (28 de janeiro) para apresentar as suas prioridades e objetivos para o próximo quadro comunitário (2021-2027). […]