Codorniz-comum é a Ave do Ano, mas espécie está em risco de desaparecer

Codorniz-comum é a Ave do Ano, mas espécie está em risco de desaparecer

Segundo comunicado divulgado pela SPEA, “embora em Portugal ainda seja uma ave comum, a codorniz poderá brevemente deixar de o ser, se não forem implementadas medidas para travar o desaparecimento da diversidade natural dos nossos campos”.

Na última década, em Portugal, a área de distribuição da codorniz diminuiu 30%, como resultado de alterações nas práticas agrícolas, da pressão da caça, a contaminação genética, com a introdução de outras espécies no país, e as alterações climáticas.

“A expansão das monoculturas, o desaparecimento dos pousios, e a eliminação das sebes e margens dos campos deixam cada vez menos habitat disponível para esta e outras aves típicas de zonas agrícolas. Esta ave alimenta-se de sementes, grãos de cereais e pequenos invertebrados, pelo que tem sofrido também com o aumento do uso de herbicidas e inseticidas”, pode ler-se.

“A população ibérica de codorniz é a mais importante da Europa Ocidental. Mas se não se fizer nada para valorizar a agricultura extensiva de sequeiro, vai seguir o caminho de outras espécies ameaçadas como o sisão e a águia-caçadeira”, diz Domingos Leitão, Diretor Executivo da SPEA.

“A política agrícola tem de compensar quem pratica uma agricultura responsável e sustentável, contribuindo para a preservação dos valores naturais. Senão, daqui por uns anos poderá ser difícil ver codornizes nos nossos campos, não por serem mestres da camuflagem, mas por estarem a desaparecer”, diz Domingos Leitão.

Em Espanha a espécie está já em declínio evidente: o número de codornizes diminuiu 70% nos últimos 20 anos. Em Portugal, não há mais de 100 mil indivíduos desta espécie.

A votação para Ave do Ano 2020 decorreu online este mês, promovida pela SPEA e pela SEO/BirdLife. A codorniz-comum foi eleita com 7 930 votos, à frente do tartaranhão-caçador (ou águia-caçadeira), que teve 6 130 votos e do picanço-real (5 156 votos).

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Anterior New Holland anuncia mudança da Liderança Sénior na Europa
Próximo Produtos fitofarmacêuticos: Classificação harmonizada de substâncias ativas

Artigos relacionados

Vídeos

2ª sessão divulg. AGIR- Avaliação Uso Eficiente da Água e Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas

[Fonte: Fenareg] O projeto AGIR – Sistema de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas, […]

Nacional

FCUP realiza debate dedicado à Investigação e Inovação no setor agrícola

A Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) realiza no próximo dia 14 de março, no âmbito do projeto INOVRural, […]

Últimas

Produção em modo biológico nos Açores vai ter mais ajudas do POSEI em 2020

O Director Regional revelou que, à semelhança de 2019, o Governo dos Açores pretende continuar a majorar positivamente as ajudas do POSEI em 2020 nas produções em modo biológico e, […]