Cinco concelhos de Faro e Portalegre em risco máximo de incêndio

Cinco concelhos dos distritos de Faro e Portalegre apresentam esta quarta-feira um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo de incêndio estão os concelhos de Loulé, São Brás de Alportel, Tavira e Alcoutim (Faro) e Marvão (Portalegre).

O IPMA colocou também mais de duas dezenas de concelhos dos distritos de Faro, Beja, Lisboa, Santarém, Coimbra, Castelo Branco e Portalegre em risco muito elevado de incêndio.

Há também vários concelhos de quase todos os distritos de Portugal continental em risco elevado de incêndio.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de “reduzido” a “máximo”, sendo o “elevado” o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para esta quarta-feira no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando temporariamente períodos de maior nebulosidade no Minho e Douro Litoral.

A previsão aponta também para vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro, por vezes com rajadas até 60 quilómetros por hora, e nas terras altas, em especial durante a tarde.

Está também prevista uma pequena descida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 5 graus Celsius (Guarda e Bragança) e as máximas entre os 18 graus (na Guarda) e os 28 (em Évora e Beja).

De acordo com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a área ardida aumentou este ano 51% em relação ao mesmo período de 2018, totalizando até 5 de junho 7373 hectares.

Os dados mostram também que os incêndios rurais diminuíram ligeiramente este ano, registando-se entre 1 de janeiro e 5 de junho 4058 fogos, menos 932 do que em igual período de 2018, quando deflagraram 4990.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Small farms produce more food than statistics show
Próximo A agricultura e os fundos comunitários

Artigos relacionados

Formações

Curso breve on-line dedicado à Poda de Pessegueiros promovido pela Escola Superior Agrária de Castelo Branco

O Instituto Politécnico de Castelo Branco vai promover um curso breve on-line dedicado à Poda de Pessegueiros, o curso é gratuito e é […]

Nacional

João Ponte: Produção de café nos Açores constitui mais valia económica que importa potenciar

O secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou hoje, na Ilha Terceira, as boas condições naturais e o interesse crescente dos produtores […]

Nacional

CDS-PP propõe apoios aos agricultores para atenuar efeitos da seca

A falta de chuva e as temperaturas elevadas em Abril fizeram aumentar o índice de seca em Portugal continental

A criação de uma linha de crédito e a isenção da taxa de recursos hídricos são duas das medidas que o CDS-PP propõe para minimizar o impacto da seca na agricultura. […]