Cereais sobem, açúcar e produtos lácteos baixam no mundo, diz FAO

Cereais sobem, açúcar e produtos lácteos baixam no mundo, diz FAO

[Fonte: Jornal Económico]

Os preços internacionais dos alimentos mantiveram-se estáveis em dezembro, segundo o índice da FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. A alta dos cereais foi compensada pela queda do açúcar e dos produtos lácteos.

Os preços internacionais dos alimentos mantiveram-se relativamente estáveis em dezembro, com a alta dos cereais a ser compensada pela queda do açúcar e dos produtos lácteos. O índice de preços dos alimentos da FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura registou uma média de 161,7 pontos no último mês do ano, que compara com 161,6 pontos em novembro.

O índice da FAO serve como indicador da variação mensal dos preços de um cabaz que compreende os principais produtos alimentares mundiais.

Em 2018, o índice ficou nos 168,4 pontos, o que representa uma queda de 3,5% face a 2017 e 27% abaixo do seu nível mais alto registado em 2011.

Enquanto os preços internacionais de todos os principais cereais subiram no último ano, os dos demais alimentos supervisionados caíram, sendo o do açúcar o que mais caiu.

Em concreto, o índice de preços dos cereais da FAO aumentou 1,8% em dezembro face novembro e 9,6% em relação a dezembro de 2017. Os preços do trigo e do milho subiram devido às condições metereológicas adversas no Hemisfério Sul, enquanto os preços do arroz caíram pelo sexto mês consecutivo.

No último mês de 2018, o índice de preços dos óleos vegetais também subiu (0,4%), encerrando dez meses consecutivos de queda, com a retoma dos preços do óleo de palma. Os preços internacionais do óleo de soja continuaram caindo, devido aos grande ‘stock’ dos Estados Unidos e à fraca procura da União Europeia.

O preço da carne da FAO teve um aumento de 0,8% no mês passado. O principal impulso dado ao índice deveu-se à recuperação dos preços da carne de porco, suportados pela forte procura mundial do produto sobretudo o de origem brasileira.

O índice de preços dos produtos lácteos da FAO caiu 3,3% em dezembro na comparação com novembro, no que foi a sua sétima queda mensal sucessiva. A queda deveu-se à baixa dos preços da manteiga, queijo e leite em pó integral.
Por sua vez, o índice de preços do açúcar caiu 1,9% em dezembro, em parte devido ao aumento da produção de açúcar na Índia e em parte devido à queda dos preços internacionais do petróleo, que diminuíram a procura de cana de açúcar para a produção de etanol, enquanto aumentaram os fornecimentos para a produção de açúcar, em especial no Brasil, o maior produtor mundial.

Comente este artigo
Anterior Quais os cogumelos selvagens que podem ser comercializados?
Próximo Governo da Madeira promete manter apoios à agricultura

Artigos relacionados

Dossiers

Commission publishes CAP transition regulations recognising implementation of new CAP will be delayed

DG AGRI and the Commission have now officially recognised that, in view of the present state of play in both the Parliament and the Council, […]

Últimas

EDP: Governo não recua no cancelamento da barragem do Fridão

[Fonte: O Jornal Económico]

O Governo não vai recuar na sua decisão de cancelar a construção da barragem do Fridão. […]

Dossiers

Produção de amêndoa duplica numa década em Portugal

A produção de amêndoa está prestes a duplicar em Portugal com novas plantações na última década, nomeadamente em zonas sem tradição da cultura, […]