Cerca de uma centena de concelhos de 14 distritos em risco máximo de incêndio

Cerca de uma centena de concelhos de 14 distritos em risco máximo de incêndio

Cerca de uma centena de concelhos de 14 distritos de Portugal continental apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

 

Em risco máximo estão cerca de uma centena de concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Leiria, Portalegre, Castelo Branco, Guarda, Aveiro, Viseu, Coimbra, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança.

O IPMA colocou também em risco muito elevado e elevado de incêndio quase todos os concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

Segundo o IPMA, pelo menos até ao fim de semana vai manter-se o risco de incêndio máximo e muito elevado em muitos concelhos do continente por causa do tempo quente.

O que fazer para ter um verão seguro

Portugal encontra-se no período crítico de incêndios rurais, que decorre entre os dias 1 de julho e 30 de setembro.

Durante esta fase, importa redobrar as atenções quanto aos riscos. Estas são algumas das recomendações de prevenção:

  • Consulte o risco de incêndio da sua área de residência aqui.
  • Prepare um kit de evacuação onde constem artigos essenciais a utilizar em caso de emergência, como os documentos mais importantes do agregado familiar, estojo de primeiros socorros, medicação habitual e água e comida não perecível, entre outras coisas
  • Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, informe as autoridades;
  • Informe-se junto da sua Junta de Freguesia ou Câmara Municipal quanto à localização dos abrigos.

Em caso de incêndio, siga estes passos:

  • Ligue de imediato para o 112;
  • Se não correr perigo e possuir vestuário adequado (tipicamente roupa de manga comprida, botas e luvas), tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos;
  • Se o incêndio estiver perto da sua casa, avise os vizinhos, corte o gás e molhe abundantemente as paredes e os arbustos que rodeiam a casa.
  • Retire a sua viatura dos caminhos de acesso ao incêndio;
  • Consulte a lista completa de recomendações, aqui.

Proibições:

Durante o período crítico estão em vigor várias proibições para minimizar o risco de incêndio. Entre elas constam:

  • Queimadas sem autorização municipal;
  • Utilização de fogareiros e grelhadores fora de espaços autorizados;
  • Fumar ou fazer lume em espaços florestais;
  • Lançar balões de mecha acesa e foguetes;
  • Veja a lista completa, aqui.

Contactos:

  • Linha de Emergência: 112
  • Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil: 800 246 246
  • GNR Trânsito: 808 201 855
  • Infraestruturas de Portugal: 707 500 501
  • Linha SOS Ambiente e Território: 808 200 520

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Na sequência do tempo quente, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) alertou na segunda-feira para o aumento do risco de incêndios rurais, em especial nas regiões do sul e do interior norte e centro, devido ao vento e subida da temperatura previstos para os próximos dias.

Num aviso à população, a ANEPC destaca um “aumento das condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais”, em especial nas regiões do Sul e do interior centro e norte.

Fonte da Proteção Civil avançou à Lusa que o distrito de Santarém vai estar hoje em estado de alerta especial laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, devido ao perigo de incêndio rural.

Os distritos de Aveiro, Braga, Bragança Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu, vão estar, no mesmo período, em estado de alerta especial amarelo.

O IPMA prevê a continuação de tempo quente, com uma subida gradual pelo menos até sexta-feira.

Durante esta semana a temperatura máxima deverá variar entre 30 e 35 graus Celsius no litoral, devendo atingir valores entre 35 e 40 graus nas regiões do interior.

Também a temperatura mínima apresenta tendência para uma subida gradual, com valores que deverão ser superiores a 20 graus em grande parte do território continental, em especial no interior e no sotavento algarvio, e que são classificadas como noites tropicais.

De acordo com o IPMA, os valores de temperatura estão acima do habitual para a época do ano e esta persistência poderá levar a uma situação de onda de calor em diversos locais do país, em especial no interior.

Na origem do tempo quente está um “anticiclone localizado a nordeste dos Açores, que se estende em crista até ao Golfo da Biscaia, em conjunto com um vale depressionário desde o norte de África até à Península Ibérica, origina o transporte de uma massa de ar quente do norte de África a qual será responsável pela persistência de valores elevados de temperatura ao longo da semana”.

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Proteção Civil alerta para aumento do risco de incêndios rurais nos próximos dias
Próximo DGAV publica manual de rotulagem de biocidas destinados à protecção da madeira

Artigos relacionados

Últimas

Projetos à Mostra: Desenvolvimento Local de Base Comunitária na Região Saloia

A A2S – Associação para o Desenvolvimento Sustentável da Região Saloia promoveu a conferência “Projetos à Mostra – DLBC na região saloia”, […]

Últimas

Mexia: no Fridão “estou disponível para construir a casa”

O presidente executivo da EDP, António Mexia, afirmou hoje no Parlamento que a eléctrica está ainda disponível para assinar o contrato de concessão da barragem do Fridão, […]

Opinião

Biodiversidade & “Do Prado ao Prato” – Incoerências e ambições: Como assegurar o equilíbrio sem colocar em causa os objetivos? – Jaime Piçarra

A Comissão Europeia acaba de adotar as suas estratégias relativas à Biodiversidade e “Do Prado ao Prato”, ou “Farm to Fork”, elementos […]