Carne de Charolês chega ao mercado

Carne de Charolês chega ao mercado

[Fonte: Vida Rural]

Carne de Charolês e Carne de Charolês Premium são as novas marcas registadas pela Charolês Portugal, uma recém-criada associação de produtores. Com sede nos Açores, esta associação conta com cerca de 30 produtores que representam perto de 60% dos criadores nacionais desta raça. A ideia é promover o associativismo, o melhoramento genético da raça e dinamizar o mercado de carne de qualidade.

Miguel Silvestre, presidente da Direção da Charolês Portugal, revelou à Vida Rural que a criação das marcas ‘Carne de Charolês’ pretende explorar nichos de mercado de qualidade, onde a restauração terá um papel decisivo: “Somos muito pequenos e por isso queremos fazer coisas diferentes e com valor acrescentado, com consequências na rentabilidade do produtor. Queremos dar a conhecer a nossa carne e a nossa marca e imprimir um maior dinamismo ao setor produtivo”, frisou.

Depois da criação destas marcas, a Associação está a aguardar aprovação pela Direção Geral de Veterinária para poder cogerir o livro genealógico da raça, atualmente sob gestão única da Associação Portuguesa da Raça Charolesa (a primeira associação a ser criada, em 1989).

A Charolês

É provavelmente uma das raças mais utilizadas em todo o mundo, sobretudo em cruzamento industrial e a que tem mais capacidade de transformar kg de alimento em kg de carne). A Charolês apresenta-se como uma carne tenra, de cor rosada, com ligeira infiltração de gordura intramuscular, suculenta e de textura suave. Na sua versão premium, a cor pode ir de rosado a rosado escura, com alto teor de infiltração de gordura intramuscular, grande suculência e textura suave.

Quanto aos animais, a associação destaca 10 características principais: facilidade de parto, rusticidade, docilidade, qualidades maternais, prolificidade, capacidade de crescimento, desenvolvimento muscular, precocidade, rendimento da carcaça e rentabilidade do produtor.

Comente este artigo

O artigo Carne de Charolês chega ao mercado foi publicado originalmente em Vida Rural

Anterior Mais 2% de maçã e pêra no Hemisfério Sul
Próximo A rescue operation for palm oil biofuels tabled by the European Commission

Artigos relacionados

Nacional

Bridgepoint pondera vender negócio em Portugal que comprou em 2016 por 456 milhões

[Fonte: Jornal de Negócios]

O fundo de private equity Bridgepoint vai reavaliar o seu negócio de agroquímica em Portugal até ao final do ano, sendo que uma das soluções passa por vender a Sapec Agro, companhia que comprou em 2016 por 456 milhões de euros. […]

Nacional

Candidaturas à PAC até maio já ultrapassam total de 2018

[Fonte: ECO]
As candidaturas às ajudas da Política Agrícola Comum (PAC) fixaram-se, de acordo com os últimos dados, em 183.649, mais 418 do que em 2018, revelou esta terça-feira o Ministério da Agricultura.
“O período de candidaturas, encerrado a 31 de maio de 2019, […]

Nacional

Quinta de Soalheiro, a L’Campo e a delegação de Valença da APPACDM criam projeto social

[Fonte: Vida Rural]

O Clube de Produtores de Monovarietais do Vinho Verde, a Quinta de Soalheiro, a exploração vitícola L’Campo e a Delegação de Valença da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) assinam esta semana um acordo para o desenvolvimento do projeto social ‘Germinar’. […]