CAP leva a maior representação de produtores de vinho de sempre à Prodexpo Moscovo

CAP leva a maior representação de produtores de vinho de sempre à Prodexpo Moscovo

São 28 as empresas que estão a promover os vinhos de oito regiões vitivinícolas portuguesas na capital russa. A presença nacional triplicou desde 2014.

A CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal leva este ano a maior representação de produtores de vinho de sempre à PRODEXPO Moscovo, a grande feira do setor alimentar que se realiza anualmente na Rússia, e que decorre entre os dias 10 e 14 de fevereiro. Ao todo, estão presentes 28 empresas nacionais, triplicando o número daquelas que, em 2014, participaram pela primeira vez neste certame.

Luís Mira, Secretário-Geral da CAP, refere: “O setor vinícola nacional está, definitivamente, de olhos postos na Federação Russa. Quando iniciámos este trabalho de internacionalização, não eram muitas as empresas preparadas para investir neste destino de exportação, que conta com cerca de 143 milhões de habitantes e tem, portanto, um potencial de consumo enorme. Contudo, sete edições depois, vemos que muitas empresas nacionais já têm importadores nesta geografia. E temos mesmo casos de produtores cujas exportações para o mercado russo duplicaram em apenas cinco anos.”

De acordo com o Instituto da Vinha e do Vinho, prevê-se que, em 2021, no global, as vendas de vinho para a Rússia representem cerca de 780 milhões de euros, com o consumo per capita a atingir 6,4 litros. Segundo os últimos dados publicados, referentes a 2016, os vinhos italianos, franceses e espanhóis perfazem cerca de 65% das exportações russas de vinho. Portugal ocupa a 7ª posição no ranking dos maiores fornecedores, tendo as suas exportações para o mercado russo praticamente duplicado entre 2012 e 2016.

Cerca de 41% da população russa, na faixa etária entre 20 e 44 anos, consome vinho. Calcula-se que em Moscovo e São Petersburgo, os principais centros de consumo, existam aproximadamente 6 milhões de consumidores de vinhos importados, indica um relatório da Russian Public Opinion Research Center (VTsIOM).

As 28 empresas portuguesas que acompanham a CAP nesta ação estão a promover vinhos de oito regiões vitivinícolas de Portugal.

Lista de empresas participantes: Adega Cooperativa da Vermelha; Adega Cooperativa de Favaios; Adega Cooperativa de Ponte de Lima; Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa, C. R. L.; Agrimota – Sociedade Agrícola e Florestal, SA (Quinta da Calçada); CARMIM – Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz CRL; Casa Ermelinda Freitas – Vinhos, Lda; Caves Campelo; Caves de Santa Marta; Cooperativa Agricola Sto.Isidro de Pegões CRL; DFJ Vinhos; Golddrink, Import Export (Quinta de Marrocos); João Portugal Ramos; Manuel Costa e Filhos, Lda; Casa Clara, Lda (Monte da Capela); Parras Wines Unipessoal, Lda; Positive Wine, Lda; Quinta da Pacheca; Quinta das Arcas, Soc. Agric., LDA; Quinta De Carapeços – Sociedade Vitivinícola, SA; Santos & Seixo Wine Export, Lda.; Socieda Agrícola D. Diniz, SA – Monte Ravasqueira; Sociedade Agrícola Casal de Ventozela, SA; Sociedade Agrícola da Quinta da Ribeirinha, Lda.; Sogrape Vinhos, SA; VERCOOPE – União das Cooperativas da Região dos Vinhos Verdes, CRL; Vidigal Wines; Viniverde – Promoção e Comércio de Vinhos Verdes, SA.

Comente este artigo
Anterior Pedro Pimenta: “O milho é um factor fundamental de desenvolvimento sócio-económico no Vale do Mondego
Próximo Agricultores do distrito da Guarda queixam-se de prejuízos provocados por javalis

Artigos relacionados

Últimas

Enologia

Estágio de Vindima
A empresa Casa de Cello necessita de estagiário, com formação na área, para o período de vindima (final de Agosto até […]

Dossiers

Arquitetura verde da PAC deve ter em conta restantes objetivos

De acordo com um comunicado do Ministério da Agricultura divulgado hoje, a ministra defendeu no Conselho de Agricultura e Pescas (que reúne os governantes setoriais dos países da União Europeia) que a arquitetura verde deve ter em conta o equilíbrio com outros objetivos da PAC, […]

Dossiers

Resumo Climatológico de janeiro

O mês de janeiro de 2020, em Portugal continental, classificou-se como quente e seco (Figura 1). […]