Câmara quer Laranja de Amares como património vegetal de interesse municipal

Câmara quer Laranja de Amares como património vegetal de interesse municipal

A câmara de Amares aprovou a classificação da laranja como património vegetal de interesse municipal para “proteger” aquele produto, destacando que é “um dos símbolos distintivos” do concelho, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, aquela autarquia do distrito de Braga refere que a proposta de classificar a Laranja de Amares como património vegetal de interesse municipal aguarda a apresentação da proposta à Assembleia municipal.

Segundo refere no texto o vereador da Cultura, Isidro Araújo, “a Laranja de Amares é hoje uma marca muito especial para o concelho”.

“Enquanto elemento vegetal, é mesmo um dos símbolos distintivos do nosso brasão”, sendo objetivo da autarquia “proteger esta marca tão forte” do concelho.

Segundo o vereador “o reconhecimento das fruteiras regionais como património vegetal de interesse público é de grande importância não só para um desenvolvimento regional assente em produtos tradicionais, como também para a sua proteção”.

A autarquia saliente que “a laranja de Amares, apesar de não ter um aspeto tão atrativo como as demais, é hoje conhecida e renomeada em todo o país pela sua qualidade e como um fruto específico dada as suas características como fruto sazonal”.


“Como é do conhecimento geral, a Laranja de Amares é hoje uma marca muito especial para o concelho e, enquanto elemento vegetal, é mesmo um dos símbolos distintivos do nosso brasão”, começou por explicar o vice-presidente e vereador da Cultura, Isidro Araújo. “O reconhecimento das fruteiras regionais como património vegetal de interesse público é de grande importância não só para um desenvolvimento regional assente em produtos tradicionais, como também para a sua proteção. A laranja de Amares, apesar de não ter um aspeto tão atrativo como as demais, é hoje conhecida e renomeada em todo o país pela sua qualidade e como um fruto específico dada as suas características como fruto sazonal e, neste sentido, queremos proteger esta marca tão forte do concelho”.

A proposta já aprovada em reunião de câmara vai ser apreciada na próxima Assembleia Municipal de Amares.

Comente este artigo
Anterior Quase 11 ME para reforço do regadio no Vale da Vilariça em Trás-os-Montes
Próximo Webinar: Um dia com... Elena Ordiales - Caracterização das populações silvestres de Cynara cardunculus - 20 de janeiro

Artigos relacionados

Sugeridas

VITIS – Campanha 2020/2021 – Pedidos de Pagamento adiantado

Decorrente das restrições da situação de pandemia de COVID-19 e de modo a apoiar os trabalhos de reestruturação da vinha, é possível antecipar a submissão de pedidos de Pagamento […]

LIVE

Conferência Vida Rural – MERCADO: TENDÊNCIAS DE CONSUMO E NOVOS CANAIS

Apresentação de Pedro Pimentel, da Centromarca, na Conferência Vida Rural – Reinventar as cadeias de distribuição. […]

Últimas

Agregador agroalimentar na Alibaba vai permitir “exportar muito mais” – presidente da AICEP

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) afirmou hoje que o agregador de produtos agroalimentar portugueses na Alibaba.com vai permitir […]