Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso vai pagar vacinação de bovinos, ovinos e caprinos

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso vai pagar vacinação de bovinos, ovinos e caprinos

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso aprovou o projeto de Regulamento Municipal da Subvenção à Campanha Sanitária Oficial de Ruminantes, o que representa o início de um processo que vai apoiar a atividade agropecuária.

“Trata-se de uma medida que estava inscrita no nosso programa eleitoral e que agora estamos em condições de apresentar”, referiu o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, na reunião de Câmara que decorreu a 16 de dezembro, nos Paços do Concelho.

Este apoio vai traduzir-se no pagamento, pela Autarquia da Póvoa de Lanhoso, da vacinação de bovinos, ovinos e caprinos. Ou seja, esta subvenção contempla, anualmente, o custo inerente ao programa de erradicação e vigilância das doenças dos grandes e dos pequenos ruminantes no âmbito Programa Nacional de Saúde Animal.

O apoio financeiro a conceder aposta não só na produtividade e fixação da população, mas também na sensibilização dos produtores do concelho para o cumprimento das regras de saúde pública, de saúde animal e para as boas condições agrícolas e ambientais.

Pretende-se, desde modo, promover não só a qualidade do produto final, mas também a existência de produtores pecuários com as condições de vida e de trabalho que assegurarão a continuidade e expansão de uma atividade económica de referência no concelho da Póvoa de Lanhoso.

O abandono da atividade agropecuária é uma realidade cada vez mais vincada no nosso País que, no concelho da Póvoa de Lanhoso, em virtude da prática de uma agricultura de pequena escala e cariz familiar, ganha ainda maior expressão. Não obstante a sua fraca rentabilidade, a agropecuária apresenta-se como suporte da economia familiar, sendo assim apta a minimizar o impacto das crises económicas.

A falta de sustentabilidade financeira de muitas das explorações agropecuárias do concelho e o agravamento dos custos de produção e dos encargos com ações de profilaxia médica animal antecipam que, a curto prazo, tais explorações desaparecerão. O que se traduz numa ameaça, não só à manutenção desta atividade, como também, em caso de incumprimento das ações de profilaxia médica animal, à saúde pública.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior OE2020: PAN diz que proposta do Governo é de continuidade e pouco ambiciosa
Próximo Ministra da Agricultura: Um Orçamento que nos permite desenvolver uma agricultura ainda mais sustentável, competitiva e inovadora

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios: Apoios europeus suspensos com decisão judicial que dá razão a Mação

A decisão, hoje anunciada pela câmara, suspende a eficácia do aviso de lançamento do concurso do Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE), […]

Sugeridas

Live-stream Agroglobal 2020: Novas culturas e Agricultura Biológica – 10 de setembro – manhã

Live-stream Agroglobal 2020: Novas culturas e Agricultura Biológica – 10 de setembro – manhã […]

Últimas

Ferramentas sobre biodiversidade para empresas da fileira alimentar

O Instituto Superior Técnico, no âmbito do projeto europeu “LIFE Food & Biodiversity – Critérios Efectivos de Biodiversidade para normas e selos do sector alimentar”, de que é parceiro, está a […]