Câmara do Fundão dá apoio à produção pecuária para fomentar o pastoreio

Câmara do Fundão dá apoio à produção pecuária para fomentar o pastoreio

A Câmara do Fundão vai atribuir um apoio financeiro à produção pecuária no concelho para fomentar a atividade do pastoreio em paisagem protegida e valorizar as raças autóctones, anunciou aquele município do distrito de Castelo Branco.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o município presidido por Paulo Fernandes explica que vai implementar o “Regulamento Municipal de Concessão de Apoio Financeiro Destinado ao Fomento da Produção Pecuária”.

“Com este regulamento, o Município do Fundão irá conceder comparticipações financeiras a fundo perdido aos titulares de exploração agropecuárias, que pratiquem pastoreio extensivo na área definida como paisagem protegida da serra da Gardunha e que melhorem os seus efetivos através da reintrodução de ovinos da raça Merino da Beira Baixa e caprinos da raça Charnequeira”, é referido.

Os valores previstos de comparticipação poderão oscilar entre os 2,50 e os 10 euros por cabeça de ovino ou caprino, sendo que os apoios concedidos abrangem a vertente da valorização da raça autóctone, prevendo um incremento efetivo e uma valorização permanente do efetivo com animais de raça autóctone para poder usufruir da comparticipação prevista no regulamento.

De acordo com a informação, será ainda concedido um incentivo suplementar para a produção de leite produzido por ovinos elegíveis nas candidaturas apresentadas, desde que seja demonstrado que o leite foi transformado nas unidades de produção do concelho.

Este regulamento integra-se na estratégia da autarquia para a valorização das raças autóctones e da fileira do queijo, assim como da estratégia que está a ser desenvolvida no campo experimental do antigo Seminário do Fundão.

A autarquia também destaca que esta estratégia irá ser integrada e conjugada com outro tipo de apoios e medidas, como é exemplo o protocolo assinado com a Associação de Produtores de Queijo do Distrito de Castelo Branco, que prevê a articulação entre as entidades para proceder à recolha dos leites produzidos na zona de paisagem protegida da serra da Gardunha, assim como a integração na Rede Europeia do Queijo (AREQ) e a participação no “Programa de Valorização da Fileira do Queijo DOP na Região Centro” dinamizado pelo InovCluster.

Comente este artigo
Anterior Proprietários portugueses não limpam (44%) nem têm dinheiro (31%) para limpar terrenos
Próximo Sustainwine divulga novo vídeo sobre estratégias de proteção sustentável das plantas

Artigos relacionados

Últimas

Eleições. Rio anuncia Arlindo Cunha como ministro da Agricultura se formar governo

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou hoje que, se formar governo, o seu ministro da Agricultura será Arlindo Cunha, que já ocupou esta pasta durante o segundo executivo liderado por Cavaco Silva, […]

Últimas

No ‘magical’ alternative to glyphosate in the next 5 years, Bayer official says

[Fonte: EURACTIV] In the next five years, no alternative to glyphosate is going to “magically” appear in the market,  […]

Últimas

Alimentos geneticamente modificados – seguros ou não?

Embora o uso de OGM seja muito antigo, este é do desconhecimento da comunidade geral. Por exemplo, nós próprios podemos ser considerados OGM pois temos genes com origem em elementos virais. […]