Borrego Leonor & Irmão celebra 50 anos ao serviço da agricultura

Borrego Leonor & Irmão celebra 50 anos ao serviço da agricultura

Borrego Leonor & Irmão celebra 50 anos ao serviço da agricultura A Borrego Leonor & Irmão S.A. comemorou o 50º aniversário num almoço convívio que reuniu cerca de 800 convidados no CNEMA, em Santarém, a 20 de janeiro.

Estiveram presentes colaboradores, parceiros de negócio e amigos da empresa, num tributo ao seu fundador, Joaquim Borrego, que compareceu à cerimónia. Durante o almoço foi transmitido um vídeo sobre os 50 Anos da empresa, no qual parceiros de negócio e amigos recordaram a história da Borrego Leonor & Irmão S.A., dando testemunho do seu percurso no mercado agrícola e do contributo para a agricultura do Ribatejo e do país. A tarde foi animada por alguns momentos musicais com o Grupo Gentes de Almeirim, o Quarteto Nelson Pisco e a banda de David Antunes.

No discurso comemorativo dos 50 anos, Paula Borrego, Presidente do Conselho de Administração da Borrego Leonor & Irmão S.A, agradeceu o contributo de todos os parceiros de negócio e dos colaboradores da empresa.

«Somos e sempre fomos a empresa de referência do mercado agrícola. Estes predicados só são possíveis com o elevado empenho da nossa equipa administrativa, comercial, técnica e de logística, que na realidade são o nosso maior ativo.Temos um conjunto de fornecedores fiéis, os mais importantes a nível nacional e internacional, que nos têm ajudado a promover as novas soluções e as mais adequadas para cada um dos nossos clientes, respeitando as melhores práticas agrícolas, ambientais e simultaneamente atingindo boas rentabilidades económicas», afirmou a administradora.

Para o futuro próximo, a empresa Borrego Leonor & Irmão S.A. projeta um investimento em novas instalações na zona industrial de Almeirim, de modo a centralizar serviços, armazéns e áreas comerciais, e deixa em aberto uma eventual expansão para o Sul do país.

«Estamos bastante confortáveis com a nossa área geográfica de atuação, mas sempre atentos aos movimentos do setor e poderemos a qualquer momento reforçar a nossa presença no Alentejo, especialmente para acompanhar os nossos clientes de anos que começaram a explorar as potencialidades do Alqueva», acrescenta a administradora.

A inovação da empresa passará também por uma aposta clara nos serviços de agricultura digital. A Borrego Leonor & Irmão S.A. dispõe desde 2012, de uma App que agiliza o processo de aconselhamento e relação da sua equipa técnico-comercial com os empresários agrícolas e há dois anos iniciou projetos piloto na área da agricultura de precisão por deteção remota (vulgarmente designada por “imagens de satélite”) com uma empresa local que forneceu o primeiro serviço deste tipo a nível nacional.

«No futuro iremos ser inovadores na agricultura digital, onde podemos contar com os melhores serviços internacionais e nacionais dos nossos parceiros tecnológicos e comerciais», revela Paula Borrego.

Comente este artigo
Anterior Afetados dos Incêndios de Outubro avançam para manifestação a 2 de Fevereiro
Próximo Plano de Abertura de Candidaturas do PDR2020 para 2018

Artigos relacionados

Nacional

Banco Mundial desembolsa 216 milhões de euros para agricultura em Moçambique


Maputo, 15 fev (Lusa) — O Banco Mundial vai desembolsar 16 mil milhões de meticais (216 milhões de euros) para um projeto de desenvolvimento rural Integrado e Inclusivo em Moçambique, anunciou o ministro da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural, citado hoje pela imprensa local. […]

Comunicados

Projecto melhor eucalipto em Albergaria-a-velha e Ponte de lima

Projecto Melhor Eucalipto promove workshop para proprietários na Expoflorestal este sábado, dia 6 de Maio, e uma sessão de informação técnica a 9, 10 e 11 de Maio em Ponte de Lima.
Nos próximos dias acontecem duas sessões de informação do Projecto Melhor Eucalipto. Uma integrada na Expoflorestal, […]

Comunicados

Incêndios Florestais – Um certo “rescaldo” a fazer…

Um ano depois dos Incêndios de Pedrógão, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos… oito meses depois dos Incêndios de Outubro, o decorrente e mais sério “rescaldo” a fazer-se aponta para a falta de resolução de situações prementes, tais como: […]