Barragens alentejanas voltam a recuperar níveis de armazenamento em Janeiro. Lucefecit já superou os 50% de armazenamento

Barragens alentejanas voltam a recuperar níveis de armazenamento em Janeiro. Lucefecit já superou os 50% de armazenamento

No final do mês de janeiro, as bacias hidrográficas do Alentejo registaram um aumento no volume armazenado, segundo dados do SNIRH- Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos. 

Em termos de barragens, na bacia do Sado existem sete albufeiras com menos de metade da sua capacidade de armazenamento, sendo a barragem de Campilhas o caso mais grave, com apenas 9.1% de reserva de água, enquanto Monte da Rocha se fixa noutros preocupantes 10.5%, Fonte Serne (29.8%), Monte Gato (28.2%), Monte Migueis (25.9%), Odivelas (32.5%), Pego do Altar (31.7%), Roxo (17.3%). Na bacia do Sado Alvito (65.8%) e Vale do Gaio (51.1%) não se encontram em situação preocupante. 

Quanto ao Guadiana, as barragens acima dos 50% de capacidade são Alqueva (69.2%), Lucefecit (51.1%) e Monte Novo (50%). Abaixo dos 50% de armazenamento encontram-se as albufeiras de Abrilongo (49.2%), Beliche (33.3%), Caia (30.6%), Enxoé (49.9%), Odeleite (40.2%) e Vigia (25.3%)

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Campanário.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Gestor Operacional e Agronómico - Faro
Próximo Isabel Bombal continúa como directora general de Desarrollo Rural

Artigos relacionados

Últimas

Comissão Vitivinícola do Algarve dá um novo impulso aos produtores de Vinhos do Algarve, em resposta aos desafios da pandemia

Com os desenvolvimentos da epidemia do COVID-19, e como medida de precaução e defesa de saúde dos participantes, a Comissão Vitivinícola do […]

Nacional

Mais de mil milhões de euros do Programa de Desenvolvimento Rural ainda estão por executar

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) alertou esta quarta-feira que há “mais de mil milhões de euros por executar” no Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), […]

Opinião

Resposta ao artigo de opinião “Agricultura biológica é pior para o ambiente” de João Júlio Cerqueira e seus constantes ataques à esta agricultura – Denis Kern Hickel

Escrevo essencialmente em meu nome, pois para defender os interesses do setor temos associações e outras entidades […]