Avaliação do Impacto Económico Causado pela Retirada de Substâncias Activas de Culturas Chave em Portugal

Avaliação do Impacto Económico Causado pela Retirada de Substâncias Activas de Culturas Chave em Portugal

A perspetiva de redução da disponibilidade de soluções tecnologicamente determinantes como são exemplo os produtos fitofarmacêuticos, objeto deste trabalho, representa uma séria ameaça à competitividade da agricultura portuguesa e, consequentemente, um significativo impacto a nível económico e social.

Pelo facto de existir hoje uma probabilidade elevada de várias substâncias ativas, atualmente autorizadas no nosso país, virem a ser proibidas num horizonte temporal mais ou menos alargado, foi feita uma avaliação do impacto deste cenário na nossa economia agrária, tomando como base de análise cinco fileiras produtivas chave do sector: vinho, azeite, pera rocha, tomate de indústria e milho-grão

→Descarregue aqui o relatório final em pdf ←

Comente este artigo
Anterior Projeto cultivar segurança
Próximo Felisbela Torres de Campos assume Presidência da ANIPLA

Artigos relacionados

Notícias fitofarmacêuticos

Syngenta apresenta soluções sustentáveis para proteção da cultura do arroz

A Syngenta acaba de lançar o Rifit, herbicida de uma nova família química para gestão das infestantes mais difíceis na cultura do arroz, […]

Dossiers

Syngenta apresenta novo fungicida para olival Amistar Top

Amistar Top é o novo fungicida sistémico que a Syngenta lançou no mercado nacional, direccionado para a cultura do olival. Apresentado a 13 de Março no auditório da Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA), […]

Notícias fitofarmacêuticos

ADP Fertilizantes dinamiza fábrica de Setúbal com nova unidade de produção

A ADP Fertilizantes acaba de transferir a sua fábrica de produção de líquidos claros (Nutrifluid), e foliares (Tecnifol e Profertil), […]