Auto-Industrial Divisão Agrícola apresentou na FNA 2021 a sua nova representada Lovol

Auto-Industrial Divisão Agrícola apresentou na FNA 2021 a sua nova representada Lovol

A Lovol é uma marca de tratores com uma gama bem adaptada às necessidades dos agricultores nacionais. Tendo isso em consideração, a Auto Industrial decidiu apostar na marca chinesa para ampliar a sua gama de produtos.

Atualmente a Lovol produz para Portugal três modelos com 25, 35 e 50 CV, com caixa sincronizada de 8+8 e 12+12 velocidades e capacidades da bomba hidráulica de 36 l/min até 45+14 l/min. Contam ainda com distribuidores hidráulicos traseiros de simples e duplo efeito (2 unidades em cada).

Já em 2022 a gama irá aumentar para modelos na casa dos 40, 65 e 75 CV.

Para Miguel Vieira, gerente da Auto-Industrial Divisão Agrícola, “As nossas espetativas relativamente à Lovol são de nos implantar no mercado dos pequenos e médios agricultores, com um produto possuidor de uma relação preço/qualidade muito interessante. Este é um segmento de mercado que continua a crescer em Portugal e onde estamos a apostar”, e continua “Pela confiança que a Auto Industrial tem transmitido aos clientes e revendedores ao longo dos anos, tenho a certeza que a Lovol tem tudo para crescer. Ainda mais quando o após-venda está no centro da nossa identidade”.

Durante a feira Miguel Vieira contou com a companhia do administrador da Auto Industrial, responsável pela área agrícola, Tomás Rocha, que veio dar mais um sinal de confiança à casa e à marca, neste momento importante. Segundo Miguel Vieira, a rede de concessionários ainda está em formação, acreditando que após a entrada em contacto com o produto, os revendedores nacionais receberão com entusiasmo a nova marca nas suas casas, e farão com ela um interessante trabalho de divulgação e implantação no terreno. Para o administrador Tomás Rocha, “a presença do Grupo Auto Industrial na FNA21 é mais um sinal de que estamos presentes, não só nos momentos favoráveis como nos momentos adversos, em prol da agricultura portuguesa”.

O artigo foi publicado originalmente em Auto-Industrial Divisão Agrícola.

Comente este artigo
Anterior Pedrógão Grande: Quatro anos depois, a paisagem está em “colapso”
Próximo Mau Tempo: Viticultores do Douro querem implementar método que evita granizo

Artigos relacionados

Últimas

Cooperativa Agrícola de Boticas entrega subsídios aos criadores de pequenos ruminantes

A Cooperativa Agrícola de Boticas (Capolib) procedeu esta quarta-feira, dia 15 de Janeiro, à entrega das compensações financeiras aos criadores de pequenos ruminantes (caprinos e ovinos) do Concelho. […]

Nacional

“Para se fazerem grandes coisas temos de começar pelas mais simples”

Ana Abrunhosa, presidente da CCDRC na Sessão Pública de Abertura da Escola de Pastores.
“Houve quem não acreditasse no projeto, […]

Últimas

CDS questiona Governo sobre direitos dos proprietários no Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais

Numa pergunta dirigida ao Ministro do Ambiente e Ação Climática, o deputado do CDS João Gonçalves Pereira questiona onde ficam os direitos […]