Áustria torna-se o primeiro país da UE a proibir o glifosato

Áustria torna-se o primeiro país da UE a proibir o glifosato

[Fonte: Observador] A medida foi aprovada esta terça-feira, 2 de julho, pelo parlamento austríaco que dá assim luz verde à total interdição do glifosato em todo o território do país. A Áustria torna-se o primeiro país da União Europeia a banir o perigoso herbicida, baseando a decisão num “princípio de precaução”.

A maioria dos deputados votou favoravelmente a proposta feita pelo partido social-democrata SPÖ, que pretendia afastar do mercado os produtos à base de glifosato, e que mereceu até o apoio do partido da extrema-direita FPÖ.

Classificado como “potencialmente cancerígeno” desde 2015 pela Organização Mundial de Saúde, o herbicida tem sido utilizado por diversas marcas, depois de a licença detida pelo gigante grupo americano Monsanto ter caído no domínio público no ano 2000.

Quanto à medida de uma interdição total, suscitou aceso debate ao longo de semanas na Áustria, com os opositores da proposta a frisarem que a mesma iria em sentido contrário ao da própria regulação europeia, já que a licença de utilização de glifosato na UE, renovada em 2017 pelo executivo europeu, se prolonga até 15 de dezembro de 2022.

Comente este artigo
Anterior Governo destaca capacidade do setor agrícola para atrair investimento
Próximo O impacto regulatório do acordo Mercosul-UE

Artigos relacionados

Ofertas

Oferta de Estágio Profissional – Engenheiro Agrónomo – Olhão

A Madre Fruta, através dos seus serviços partilhados de recrutamento, está neste momento a recrutar Engenheiro/a Agrónomo/a para ESTÁGIO PROFISSIONAL a realizar num sócio-produtor. […]

Últimas

Macfrut 2019. Itália olha para o exterior

Mais de 1.500 compradores convidados de todo o mundo e uma plataforma online para facilitar as oportunidades de encontro entre procura e oferta: em Rimini, […]

Últimas

“Fim da derrama terá 40% de impacto nas empresas do setor agrícola”

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, revelou, esta quarta-feira, que com o fim da cobrança da derrama em 2020, […]