As respostas e propostas AGROGES aos desafios da Sustentabilidade

As respostas e propostas AGROGES aos desafios da Sustentabilidade

Uma parte crescente do trabalho que desenvolvemos na AGROGES enquadra-se dentro dos domínios daquilo que hoje nos habituámos a chamar de Sustentabilidade.

Esta tendência, marcadamente transversal aos diversos segmentos de atividade do portfólio da AGROGES, revela-se em todas as tipologias de serviços que prestamos: projetos agrícolas ou florestais, com ou sem indústria transformadora incorporada, contratados por empresas privadas, cooperativas ou pelo Estado, que tenham apenas uma dimensão nacional ou que se estendam por regiões mais alargadas da Europa, de África ou da América do Sul.

Esta “procura pela Sustentabilidade”, no âmbito dos serviços prestados pela AGROGES, tem-nos exigido um esforço acrescido orientado em duas direções essenciais:

  • por um lado, para o reforço e reorganização da Equipa Agroges com intervenção mais direta nas “novas dimensões” dos serviços que prestamos;
  • por outro lado, para a definição clara de metodologias robustas de abordagem a cada uma dessas “novas dimensões”.

Equipa reforçada

Reforçámos a nossa relação com a Maria João Gaspar que, enquanto Consultora Externa da Agroges, assume a coordenação técnica de muitos dos projetos da área da Sustentabilidade. A Maria João dispensa grandes apresentações. É uma reputada consultora, especializada nas metodologias de cálculo de emissões de carbono, e com um currículo que fala por si (leia abaixo uma breve nota biográfica). Recentemente, foi uma das oradoras convidadas pela Vida Rural, presentes no AgroIn 2020 (aceda aqui à apresentação efetuada pela Maria João nesse evento). Para além disso, contratámos a “jovem promessa” Dinis Marques, cujo perfil pode ser revisitado aqui, e mantivemos todos os restantes elementos: a Nélia Aires e a Ana Filipa na área Florestal, a Ana Frazão e o Duarte Pinto nos domínios da Qualidade, e uma vasta equipa de apoio nas áreas económicas e sociais.

Metodologias sólidas

Ao longo destes últimos meses temos investido muito na identificação, seleção e aprofundamento das metodologias mais adequadas para o desenvolvimento da nossa intervenção nas diversas áreas da Sustentabilidade. É um investimento que consideramos essencial, numa altura em que são frequentemente oferecidas soluções e abordagens simplistas, para uma questão que tem na complexidade uma das suas principais caraterísticas.
As fileiras de base agrícola e florestal não podem desperdiçar a oportunidade que o desafio da Sustentabilidade representa. Para que tal não aconteça, as abordagens a esta dimensão da sua atividade têm que ser sérias e alicerçadas em bases metodológicas robustas e, sempre que possível, referenciadas por normas reconhecidas internacionalmente.
Estas metodologias aplicam-se à quantificação de balanços de recursos tão diversos como a água, o carbono, a energia ou a biodiversidade. Enquadram questões que vão da geração de valor, muito centradas na eficiência e na tecnologia, até à coesão dos territórios nos quais as atividades económicas se desenvolvem. Começam na definição e avaliação das Políticas Públicas de estímulo à sustentabilidade, passam pela certificação dos processos e das organizações que a garantem e terminam na abordagem aos mercados (ou nas respetivas falhas), mais ou menos regulados, que valorizam cada um dos contributos para um futuro mais sustentável.

É desta forma que a AGROGES tem vindo a ganhar o reconhecimento de um número crescente de clientes e parceiros: da produção agrícola à produção florestal e respetivas indústrias transformadoras, passando por entidades de cariz essencialmente comercial que lidam com mercados cada vez mais exigentes, até organismos públicos, nacionais e internacionais, fazedores de políticas públicas de promoção da Sustentabilidade. Para todos eles, a AGROGES tem encontrado uma resposta.


Ler artigo em formato PDF


O artigo foi publicado originalmente em AGRO.GES.

Comente este artigo
Anterior As ideias inovadoras do Programa de Co-creação LL2FRESH
Próximo Portugal em 4.º lugar na produção de vinho da UE com 700 milhões de litros

Artigos relacionados

Dossiers

Incêndios: Empresas florestais alertam para “amadorismo na limpeza de mato” após despacho do Governo

Enquanto associação representante das empresas do setor florestal, a ANEFA afirmou que “tudo fará” para impedir a concretização do protocolo […]

Últimas

Estação de Avisos do Norte Transmontano alerta para oídio, míldio e flavescência dourada da vinha

A Estação de Avisos Agrícolas do Norte Transmontano publicou a sua Circular de Avisos nº 12 ( 2019), dedicada à vinha. E alerta para possíveis problemas com o oídio, […]

Últimas

Aprovada recuperação de 5 regadios tradicionais na região Norte

O Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, homologou os projetos de recuperação de 5 regadios tradicionais, situados na região Norte. […]