As florestas multifuncionais na estratégia europeia

As florestas multifuncionais na estratégia europeia

Num evento organizado pelas associações europeias de produtores florestais (CEPF, Copa-Cogeca, ELO e EUSTAFOR) a UNAC salientou a importância dos montados de sobro e de azinho enquanto florestas multifuncionais e o seu contributo na prestação de serviços do ecossistema, sensibilizando para a necessidade de considerar os sistemas agroflorestais na Estratégia Florestal Europeia que será elaborada durante o ano de 2020.

Moderado pelo deputado Petri Sarvamaa, relator da iniciativa parlamentar dedicada à Estratégia Florestal Europeia, neste evento foram apresentadas várias tipologias de floresta na Europa, tendo ficado demonstrado que a diversidade existente obrigará a soluções feitas à medida e não a receitas transversais. A necessidade de equilíbrio entre as componentes economia x ambiente x social foi salientada como urgente, ao contrário do que aparenta estar plasmado no recente Green Deal, em que o ambiente parece sobrepor- se às restantes vertentes, pressupondo que a futura Estratégia Florestal estará enquadrada numa Estratégia Europeia para a Biodiversidade e não o contrário.

As florestas foram chamadas a ter um papel crucial na política de adaptação e mitigação climática, mas o sucesso depende das soluções propostas acautelarem a componente produtiva, uma vez que esta se afigura como fundamental na manutenção e desenvolvimento das economias rurais.

Também na prestação dos serviços de ecossistema ficou patente que a maximização de determinados serviços, nomeadamente através da renaturalização das florestas constituirá um risco à conservação das mesmas nos ecossistemas mediterrânicos, onde o fogo é o maior risco a considerar. As florestas precisam de gestão para um contributo eficaz em termos de sequestro de carbono, preservação da biodiversidade, conservação do solo e da água, resiliência aos incêndios florestais, etc.

Em Portugal, numerosos estudos científicos comprovam que a gestão dos montados assegura uma maior quantidade e diversidade nos serviços do ecossistema do que os montados abandonados ou intensamente explorados em todos os seus recursos. Foi, e é ainda, a conjugação da silvicultura e da agricultura na mesma parcela que permitiu chegar até hoje com este património florestal de elevado valor ambiental. Esperamos que continue a sê-lo numa futura estratégia europeia.

Leaving the forests to himself will dramatically worsen the current status. If we manage to include multifunctionality on the European Strategy for Forestry, we have earned this day.

Foram as palavras finais do eurodeputado Petri Sarvamaa, no encerramento do evento.

Comente este artigo
Anterior Nada se desperdiça e tudo se transforma na cortiça
Próximo Oferta de emprego - Enólogo - Beja

Artigos relacionados

Últimas

Relatório preliminar de estragos deve estar concluído no sábado


O relatório preliminar dos estragos provocados pelo incêndio de Pedrógão Grande em habitações, na floresta e terrenos agrícolas deverá […]

Dossiers

Alimentar Cidades Sustentáveis publica e-book “Alimentar Boas Práticas: da Produção ao Consumo Sustentável 2020”

A plataforma nacional Alimentar Cidades Sustentáveis disponibilizou o e-book “Alimentar Boas Práticas: da Produção ao Consumo Sustentável 2020”, um documento que reúne um conjunto de 46 iniciativas que oferecem uma visão não exaustiva das ações, […]

Nacional

Faltam 7 dias para o Colóquio Nacional do Milho

O 9º Colóquio Nacional do Milho reúne, a 7 de Fevereiro, na Póvoa de Varzim, no Hotel Axis Vermar, mais de 450 especialistas nacionais e internacionais para um debate alargado sobre a situação atual e perspetivas futuras do mercado do leite. […]