Aromáticas Vivas vence medalhas de ouro e prata

Aromáticas Vivas vence medalhas de ouro e prata

Manjericão, Manjericão Roxo e Sorrel dos Bosques arrecadaram 3 medalhas para a empresa Vianense no Concurso Nacional de Ervas Aromáticas Tradicionais Portuguesas.

A Aromáticas Vivas venceu duas medalhas de ouro e uma medalha de prata na 8.ª edição do Concurso Nacional de Ervas Aromáticas Tradicionais Portuguesas, com as ervas aromáticas em vaso Manjericão, Manjericão Roxo e Sorrel dos Bosques.

A erva aromática Manjericão arrecadou a medalha de ouro pela 8.ª vez consecutiva, somando assim 11 medalhas, das quais se destacam as distinções “O Melhor dos Melhores” e “Joia da Coroa” conquistadas na 7.ª edição deste Concurso.

As variedades Manjericão Roxo e Sorrel dos Bosques, apresentadas a concurso pela primeira vez, conquistaram a medalha de ouro e a medalha de prata, respetivamente.

Nuno Lomba, diretor-geral da Aromáticas Vivas destacou a importância do “trabalho desenvolvido ao nível da produção e qualidade para a garantia do uso de boas práticas agrícolas e cumprimento dos padrões de qualidade alimentar”. Referiu ainda que “a maioria dos processos são manuais, desde a plantação, colheita e embalamento, permitindo um maior envolvimento e sentido de responsabilidade dos colaboradores.”

Líder de mercado em Portugal na produção biológica de ervas aromáticas em vaso, a Aromáticas Vivas produz também ervas aromáticas para corte, flores comestíveis e microgreens, abastecendo diariamente as cadeias de Grande Consumo do mercado Ibérico e o canal HORECA. Em 2020, registou um aumento de volume de vendas de 17%, tendo produzido mais de 6 milhões de vasos.

O Concurso Nacional de Ervas Aromáticas Tradicionais Portuguesas, promovido pelo CNEMA (Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas) e pela Qualifica/oriGIn Portugal visa “premiar, promover, valorizar e divulgar as Ervas Aromáticas Tradicionais, genuínas e exclusivamente produzidas em Portugal.”

Comente este artigo
Anterior Workshop: Instalação de Jovens Agricultores em Zonas Desfavorecidas - Dificuldades vs Oportunidades - 9 de julho - Vouzela
Próximo PDR2020: Apoio ao fornecimento de serviços de aconselhamento agrícola e florestal

Artigos relacionados

Notícias florestas

Margarida Tomé: “O grande problema da floresta portuguesa é a falta de rentabilidade”

Hoje em dia, a maior parte das florestas, com os custos que têm para fazer a gestão, não é rentável. A valorização dos serviços […]

Últimas

Áreas afetadas por barragem alvo de reflorestação de 50 mil árvores em Chaves

A Câmara de Chaves assinou hoje protocolos para a plantação de cerca de 50 mil árvores com as entidades gestoras de […]

Últimas

Governo aprova investimento de 30 ME em medidas para valorizar paisagem florestal

O Conselho de Ministros aprovou hoje um conjunto de medidas no âmbito da política de valorização da paisagem […]