Áreas classificadas como pastagem permanente – pedido e/ou comunicação de alteração de uso

Áreas classificadas como pastagem permanente – pedido e/ou comunicação de alteração de uso

[Fonte: IFAP]

A classificação de uma área como pastagem permanente decorre dos dados declarativos do Pedido Único e é assumida sempre que uma parcela seja declarada por um agricultor candidato ao Regime de Pagamento Base e essa área não se encontre em modo de produção biológico.

As áreas classificadas como pastagem permanente (PP) podem ser consultadas no Parcelário como área de compromisso associada à parcela e também no documento Direitos e Compromissos do requerente disponível em O Meu Processo» Superfícies.

A classificação de uma área da parcela como PP condiciona o agricultor à formalização de um Pedido e/ou Comunicação de Alteração de Uso sempre que pretenda efetuar uma alteração na ocupação cultural nessa área da parcela. Esse pedido poderá ser efetuado via Entidade Recetora ou pelo próprio Beneficiário, através do formulário existente na área reservada do portal do IFAP:

Para as Entidades, a aplicação encontra-se disponível na Área reservada, no ponto de menu Aplicações » iDigital » Gestão de Formulários e Candidaturas » Prados e Pastagens Permanentes » Pedido e/ou Comunicação de Alteração de Uso » Formulário Recolha
Para os Beneficiários, a aplicação encontra-se disponível em O Meu Processo » Superfícies » Prados e Pastagens Permanentes (PPE) » Pedido e/ou Comunicação de Alteração de Uso
Após submissão do pedido, a área é automaticamente desafetada do compromisso não sendo necessário o envio ao IFAP de qualquer impressão em papel do formulário.

No sentido de apoiar a formalização do Pedido e/ou Comunicação de Alteração de Uso está disponível o Manual do Utilizador na área reservada do portal do IFAP em Manuais.

Os pedidos de alteração de uso de uma campanha são permitidos enquanto for respeitado o valor de 95,5% do rácio de referência nacional (Limiar de Autorização) e que se traduz-se na área disponível para alterações de uso (Autorizações Totais).

A área disponível numa campanha é obtida com base na proporção de pastagens permanentes em relação à superfície agrícola total, declaradas na campanha anterior (Rácio Anual – RA) em relação à proporção de referência obtida em 2015 (Rácio de Referência Nacional – RN).

Para 2018, a área disponível é de cerca de 25 mil ha.

O formulário encontra-se disponível no iDigital, no entanto, é durante o período de candidaturas ao Pedido Único que este é mais utilizado.

Comente este artigo
Anterior Portugal em risco de incêndios catastróficos iguais ou piores a 2017
Próximo Ávila se convierte en el gran ‘restaurante’ de los lobos, con el 50% de los ataques sufridos en CyL

Artigos relacionados

Comunicados

Press release – Refugee crisis: EU Fisheries Control Agency to help detect migrant boats – Committee on Fisheries

The European Fisheries Control Agency (EFCA) which centralises and coordinates EU member states’ fisheries inspections, will be empowered to use the data provided by its ship reporting systems to detect vessels carrying migrants under updated rules approved by Parliament’s Fisheries Committee on Tuesday. It will also be able to and conduct new types of operations to disrupt people smuggling routes. […]

Dossiers

CELPA revê-se no diagnóstico e conclusões do relatório independente sobre incêndios de Pedrógão e Góis

Entrada: Relatório da Comissão Técnica Independente aos Incêndios de Pedrógão Grande e Góis de 17 a 24 de Junho de 2017 dá um importante contributo para a reforma profunda que é preciso realizar em Portugal na prevenção e combate a incêndios rurais.
A Celpa realça a qualidade técnica e o rigor apresentado pelo Relatório da Comissão Técnica Independente (CTI) sobre os trágicos incêndios de Pedrógão Grande e de Góis, […]

Comunicados

Anipla desafia portugueses a “Considerar os Factos”

Campanha nacional para a promoção do conhecimento da população portuguesa em torno da realidade agrícola, dos seus desafios atuais e futuros, e do fulcral papel da ciência e da tecnologia ao serviço da proteção dos recursos naturais.