AR debate suspensão imediata de instalações agrícolas intensivas no Sudoeste Alentejano

AR debate suspensão imediata de instalações agrícolas intensivas no Sudoeste Alentejano

A Assembleia da República debate, na terça-feira, um projeto de lei apresentado pelo PAN que prevê a suspensão imediata e provisória de novas instalações agrícolas intensivas ou super intensivas no Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

O diploma estabelece medidas a adotar “com caráter de urgência” para a atualização e cumprimento do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (POPNSACV).

o projeto de lei, que “visa condicionar a instalação de todas as explorações agrícolas futuras ao cumprimento do POPNSACV” prevê ainda a “criação de medidas complementares à legislação em vigor”.

No plenário de terça-feira será também discutido um projeto de lei do PCP, geograficamente mais abrangente, para a regulamentação da “atualização da caracterização e diagnóstico das áreas protegidas e regime de aprovação de projetos”, além de projetos de resolução apresentados pelo PAN, o PEV e o BE relacionados com o perímetro de rega do Mira, que partem de uma petição.

O diploma do PCP prevê o “diagnóstico do estado de conservação dos valores naturais e dos impactos ambientais cumulativos no território abrangido por cada Área Protegida de âmbito nacional, regional e local e a sua consideração nos instrumentos de gestão territorial”.

No projeto de resolução do PAN é recomendado ao Governo que “adeque as condições dos trabalhadores agrícolas no Perímetro de Rega do Mira [PRM] aos princípios fundamentais da Constituição da República Portuguesa”.

Já a resolução do PEV pretende “travar a expansão de estufas e de culturas agrícolas intensivas, em geral, no PRM – Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Quando ao BE, “recomenda ao Governo a recuperação da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e a transição ecológica da agricultura do PRM”.

Em discussão estará igualmente uma petição da iniciativa do Juntos Pelo Sudoeste, intitulada “O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”.

O Movimento de Cidadãos de Odemira e Aljezur em Defesa do Sudoeste pede a “revogação imediata da resolução do Conselho de Ministros n.º 179/2019” que vem dar uma resposta descarada às exigências e pressões do ‘lobby’ da indústria agrícola intensiva, em vez de avaliar e debater seriamente a situação, trazer soluções às preocupações reais da população e de outros setores socioeconómicos fundamentais”.

O debate das iniciativas tem uma duração prevista de 34 minutos, com intervenções de todos os partidos com assento parlamentar, em função da representatividade.

Comente este artigo
Anterior Relação dos agricultores com fisco é “agridoce” ao implicar sempre pagamentos - CAP
Próximo IFAP: Pagamentos maio 2021

Artigos relacionados

Notícias florestas

Vila Real planta 5.000 árvores e reabilita área afetada pelos incêndios

A Câmara de Vila Real vai plantar 5.000 árvores de espécies autóctones e reabilitar cerca de 12 hectares de áreas florestais do concelho que têm sido assoladas por incêndios, anunciou o município. […]

Nacional

Federação Agrícola diz que novo Governo dos Açores é “bom”

O presidente da Federação Agrícola dos Açores (FAA), Jorge Rita, considera que, na globalidade, o novo executivo da região, cujos titulares foram hoje conhecidos, é um “bom governo”, esperando […]

Nacional

Agricultura de Conservação na preservação do solo e as ações da Syngenta

No âmbito do Dia Mundial do Solo, Gilberto Lopes, field expert da Syngenta, realizou uma apresentação na Universidade de Aveiro sobre o papel fundamental da Agricultura de Conservação na preservação do solo e as ações da Syngenta neste domínio. […]