APED sensibiliza consumidores para o consumo de batata nacional

APED sensibiliza consumidores para o consumo de batata nacional

Distribuição associa-se à campanha lançada pela PORBATATA

A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) junta-se à campanha de promoção de consumo de batata nacional, pelo segundo ano consecutivo. Lançada pela Associação de Batata de Portugal (PORBATATA), esta iniciativa tem por objetivo incentivar o consumo deste produto que faz parte dos hábitos alimentares dos portugueses e assim os procura sensibilizar para as vantagens nutricionais de um produto de qualidade e referência nacional.

Com o mote “Batata Portuguesa – Nasce à sua Porta”, a campanha está visível, por todo o país, em mais de 800 híperes e supermercados associados da APED, onde estão disponíveis cartazes e diversos materiais informativos.

Esta campanha conta também com a parceria da Associação Portuguesa de Nutrição e o Alto Patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

“O apoio à produção nacional é um dos focos de trabalho desenvolvido pela APED e que faz cada vez mais sentido enquanto trabalho associativo. Iniciativas como esta são de grande relevância e sinónimo da capacidade de fomento de sinergias intersectoriais em prol do consumidor. A batata nacional tem estado sempre presente entre a oferta disponibilizada pelos operadores da distribuição e acreditamos que depois do sucesso do ano passado, esta campanha venha reforçar, mais uma vez, a presença deste produto de qualidade nas escolhas dos consumidores e disponível em todo o país”, afirma Gonçalo Lobo Xavier, diretor geral da APED.

“Na primeira edição da campanha de promoção da Batata Portuguesa, em 2018, sentimos que os consumidores portugueses, cada vez mais exigentes nas suas escolhas, estavam desejosos de informação sobre a batata portuguesa. Esta segunda edição da campanha tem como objetivo estreitar esses laços de proximidade entre a produção e os portugueses”, afirma António Gomes, presidente da PORBATATA.

Comente este artigo
Anterior Investigação aposta na valorização de produtos e subprodutos agrícolas
Próximo Municípios querem políticas públicas para que terras abandonadas sejam aproveitadas

Artigos relacionados

Nacional

Horticultores do litoral alentejano contestam restrições a mais estufas

[Fonte: Público] Moção aprovada pelos autarcas de Odemira critica os “constrangimentos gerados” pelas culturas em estufa e a “perturbação” social causada pelo fenómeno migratório.

A clivagem entre as posições tomadas pela Assembleia Municipal de Odemira (AMO), que está contra novos investimentos agrícolas dentro do Perímetro de Rega do Mira (PRM), […]

Últimas

Grupo Lusiaves abriu 50 vagas de emprego para a população afetada pelos incêndios

50 vagas de emprego para a população de Pedrógão Grande com possibilidade de transporte diário e início imediato
Grupo doa 200 sacos de ração para alimentar os animais da região
No decorrer da calamidade que atingiu Pedrógão Grande e que conduziu à perda de emprego de cerca de 200 pessoas, […]

Mercados

Número de vacas leiteiras subiu 4,3% de 2014 a 2018, mas consumo de leite caiu desde 2010

[Fonte: Açoriano Oriental]
O número de vacas leiteiras cresceu 4,3% entre 2014 e 2018 com impulso dos Açores, mas o consumo de leite está em queda desde 2010, segundo o relatório do Grupo de Trabalho do Setor Leiteiro.
“No primeiro semestre de 2018 contabilizaram-se mais 10.000 animais do que em 2014, […]