António Costa vai estar dois dias em Bragança para o arranque da iniciativa “Governo mais próximo”

António Costa vai estar dois dias em Bragança para o arranque da iniciativa “Governo mais próximo”

Esta será a primeira edição de uma iniciativa que vai levar os governantes a percorrer o país ao longo da legislatura, com o objetivo de “entrar em contacto direto com cada região e a população”, e exercer uma “governação de proximidade”.

A acompanhar o primeiro-ministro, António Costa, estarão “todos os ministros, bem como alguns secretários de Estado, para visitas e reuniões de trabalho um pouco por todo o distrito”, refere uma nota enviada à comunicação social pelo gabinete do chefe do executivo.

Na quinta-feira de manhã decorrerá um Conselho de Ministros descentralizado, no Cineteatro de Bragança, “cuja agenda é maioritariamente dedicada à valorização do interior”.

“Privilegiar-se-á a auscultação e resolução dos problemas e desafios de cada região, o contacto com a população, reuniões de trabalho com os autarcas, representantes institucionais de diversas áreas, empresas, indústria, agricultura, economia social, forças de segurança, bombeiros, representantes culturais”, entre outros, indica a nota.

Na quarta-feira, António Costa começa o dia em Alfândega da Fé, para uma visita a zonas de regadio acompanhado pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, seguindo depois para Vila Flor onde terá um encontro com autarcas, acompanhado pela ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, pelo ministro do Planeamento, Nelson de Souza, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e o secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes.

De tarde, o chefe de Governo visita o Instituto Politécnico de Bragança (IPB), onde terá um encontro com alunos, acompanhado pelo ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, o ministro do Planeamento, o ministro da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, a ministra da Coesão Territorial, e três secretários de Estado.

Após uma visita ao Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, com os ministros da Cultura, Graça Fonseca, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o primeiro-ministro e os vários governantes jantam em Mirandela com “personalidades representativas da região”, um evento que será fechado à comunicação social, indica a agenda divulgada pelo seu gabinete.

No dia seguinte, após a reunião do Conselho de Ministros, António Costa segue para Vimioso, para o Parque Ibérico de Natureza e Aventura, com a ministra da Coesão Territorial, e os dois participam na apresentação das Estratégias de Eficiência Coletiva PROVERE na região norte, acompanhados pelo ministro da Economia.

Os vários ministros e secretários de Estado do XXII Governo Constitucional vão acompanhando o primeiro-ministro em algumas das atividades, mas também terão agenda própria.

Na agenda dos governantes estão previstas visitas ao IPB, a museus e ao Centro Ciência Viva, almoços com autarcas, a apresentação e balanço dos projetos da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes, visitas a casas de turismo de habitação e escolas, unidades hospitalares e centros de saúde, tribunais e estabelecimentos prisionais, e ainda centros de investigação.

Durante a iniciativa, o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, visita o núcleo de Bragança da Liga dos Combatentes e o gabinete de atendimento ao público, enquanto o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, vai ao 11.º aniversário do Comando Territorial da GNR de Bragança, enquanto a ministra da Modernização do Estado e Administração Pública estará presente na assinatura do auto de transferência da Loja de Cidadão de Freixo de Espada à Cinta.

Já os ministros do Planeamento e da Educação inauguram a Escola Secundária de Mirandela, enquanto o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, visita a futura residência de estudantes do IPB.

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior CANCELADO - Forum for the Future of Agriculture 2020 - 31 de março - Bruxelas
Próximo Estudo revela que um quinto das florestas australianas arderam devido a seca extrema

Artigos relacionados

Últimas

Baixo Mondego cultiva arroz em 2019 com menos semente certificada por hectare


Os orizicultores do Baixo Mondego abrangidos pelos apoios do Estado à produção sustentável poderão realizar este ano as culturas de arroz com apenas 90 quilos de semente certificada por hectare. […]

Nacional

CAP: “É realista apontarmos para atingir o salário mínimo de 700 euros” em 2023

Na véspera da tomada de posse do Governo, o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal fala ao PÚBLICO sobre a importância de estabelecer um valor para o salário mínimo no final da legislatura. […]

Nacional

​Fundo de apoio às vítimas dos incêndios revelou “vários défices de transparência” e controlo

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TdC) detetou “vários défices de transparência” no Fundo REVITA, de apoio às vítimas dos incêndios de junho de 2017 nos concelhos de Castanheira de Pera, […]