Angola garante aposta na fileira da produção da mandioca para exportação de derivados

Angola garante aposta na fileira da produção da mandioca para exportação de derivados

O ministro da Indústria e Comércio angolano anunciou hoje que o setor vai “promover este ano o surgimento de empresários” para apostarem na fileira da produção da mandioca, visando a exportação dos seus derivados, nomeadamente o amido.

Victor Fernandes, que falava hoje aos jornalistas no final de um encontro que manteve com a embaixadora da Índia em Angola, recordou que Angola produz anualmente 11 milhões de toneladas de mandioca e a sua transformação e exportação deve gerar divisas para o país.

“[Queremos] aproveitar, transformar isso em produto que sirva para a exportação, porque o amido é um produto muito procurado nos países fora de Angola e teríamos aqui uma fonte muito importante de captar divisas com a exportação”, disse.

Para o governante angolano, com a atual capacidade produtiva do país, no domínio da mandioca, falta apenas colocar a indústria transformadora neste circuito e, adiantou, “é o que queremos para este ano”.

“Queremos muito promover o aparecimento dos empresários para que, com os programas que estamos a estabelecer, possam estar na fileira da mandioca para produzir a mais-valia que os outros países querem, nomeadamente o amido”, argumentou.

O órgão ministerial está neste momento a trabalhar com as associações empresariais, de empresários angolanos e estrangeiros, “para o lançamento” da respetiva indústria de produção, visando alcançar a exportação do amido, um derivado da mandioca.

“E, se tudo correr bem, dentro de algumas semanas vamos poder dar um calendário mais concreto, mas este ano queremos começar a trabalhar no tema da transformação da mandioca”, notou.

Angola é o terceiro maior produtor africano de mandioca depois da Nigéria e do Gana. O amido é usado na indústria alimentar e a China é o principal importador mundial.

Comente este artigo
Anterior Presidenciais. João Ferreira diz que declínio do interior não é "realidade inevitável"
Próximo PSD defende valorização dos produtos agrícolas nacionais e apoio à certificação DOP e IGP

Artigos relacionados

Últimas

DGAV publica 12.ª actualização da zona demarcada de Epitrix em Portugal

A Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) procedeu à 12.ª actualização da zona demarcada de Epitrix da batateira em Portugal, […]

Últimas

Faça Chuva Faça Sol – T.4 Ep.13

A legislação europeia para a atividade pecuária é das mais exigentes do mundo, regulando desde as condições em que os animais são criados até à indústria de carnes. Estas regras visam assegurar […]

Nacional

Drones da Força Aérea deslocalizados de Macedo de Cavaleiros para Mirandela

Os dois drones da Força Aérea que deviam ser instalados no final deste mês em Macedo de Cavaleiros, no âmbito da operação de ​​​​​​​UAS (Unmanned Aircraft System), para apoio na prevenção […]