Álvaro Amaro alerta para riscos da estratégia para agricultura biológica

Álvaro Amaro alerta para riscos da estratégia para agricultura biológica

Foco do plano de ação para desenvolvimento da agricultura biológica no consumo merece destaque positivo

Esta tarde, em reunião com o Comissário europeu para a Agricultura, na apresentação do “plano de ação para o desenvolvimento da produção biológica da UE”, Álvaro Amaro, apesar de reconhecer aspetos positivos deste sistema, exprimiu a sua preocupação com a posição do executivo europeu em matéria de produção biológica, e quer que se considerem os elevados riscos e impactos da iniciativa da Comissão.

Dirigindo-se a Janusz Wojciechowski, perguntou se este “acredita realmente que este aumento da produção biológica, e a consequente quebra de produtividade na agricultura europeia, não conduzirá a uma subida da importação dos alimentos? Com uma agravante, é a de que esses alimentos serão, obviamente, produzidos com critérios muito menos exigentes em termos sociais e ambientais.”

Os produtos orgânicos são mais caros do que os seus equivalentes não-orgânicos e, num contexto em que a produção europeia deixa de atender às necessidades de todos os seus cidadãos, é expectável que a solução venha a ser a importação de produtos de menor qualidade, mas, ainda assim, mais baratos do que os orgânicos.

Álvaro Amaro registou, ainda, que “a Comissão parece ter ouvido o Parlamento, e em função disso, [centrou] grande parte das ações previstas no estímulo ao consumo”. O Eurodeputado tem insistido, em diversas ocasiões, que a estratégia da UE para a produção biológica deverá privilegiar medidas que incentivem do lado da procura, e não da oferta. A lógica que preside a esta abordagem assenta no pressuposto de que as alterações no modelo produtivo deverão resultar de alterações na procura por parte dos consumidores.

Finalmente, para o membro da Comissão da Agricultura, esta evolução na atitude da Comissão é positiva, especialmente tendo em conta a sua posição de partida. Faltará agora insistir para alterar não apenas o sentido da abordagem, mas o seu objetivo fundamental.

Comunicado enviado por Álvaro Amaro.

Comente este artigo
Anterior Alqueva: água tem sido utilizada de forma eficiente e ainda está longe de esgotar o seu potencial
Próximo Live: Serviços de Ecossistema dos Montados na nova PAC - Projeto ECOPOL

Artigos relacionados

Dossiers

Três anos após o fogo, permanecem as dúvidas sobre o futuro da Mata Nacional de Leiria

Os trabalhos de reflorestação prosseguem, combinando plantações com regeneração natural. Desde Fevereiro de 2018 e até ao final de 2019, quando começaram as intervenções, foram “rearborizados […]

Últimas

Portugal Fresh leva cinco empresas à Índia

Após o anúncio da abertura do mercado da Índia para exportação de pêra e maçã portuguesas, a Portugal Fresh considera que é ainda mais urgente a criação de acções de prospeção para os próximos anos. […]

Últimas

PS/Açores com proposta para medidas excecionais para agricultura

O projeto de resolução do grupo parlamentar do PS no parlamento dos Açores propõe, nomeadamente, “a antecipação do pagamento das ajudas comunitárias, […]