“Alterações Climáticas e Agricultura”

“Alterações Climáticas e Agricultura”

[Fonte: DGADR] No dia 26 de abril, a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural participou no Simpósio “Alterações Climáticas e Agricultura” na 36ª OVIBEJA, tendo sido apresentada uma reflexão sobre a função das barragens intitulada “Ainda vale a pena construir barragens?”. 
A transformação do ambiente natural e construído (humanizado) tem de ser realizada de forma harmoniosa, evitando roturas, tornando-se indispensáveis novos paradigmas de desenvolvimento e mudanças de comportamentos, que integrem um conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos associados aos seres vivos, influenciando-os e sendo influenciados por eles (Ambiente) e permitem sustentar as necessidades de água da atual sociedade. Mais do que nunca, é necessário convocar saberes vários de áreas muito diversificadas. 


A transformação do ambiente natural e construído (humanizado) tem de ser realizada de forma harmoniosa, evitando roturas, tornando-se indispensáveis novos paradigmas de desenvolvimento e mudanças de comportamentos, que integrem um conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos associados aos seres vivos, influenciando-os e sendo influenciados por eles (Ambiente) e permitem sustentar as necessidades de água da atual sociedade. Mais do que nunca, é necessário convocar saberes vários de áreas muito diversificadas. 

O objetivo é proteger os recursos naturais (água, ar, solo) e o ambiente geral, tendo que considerar o fenómeno das Alterações Climáticas. A proteção é realizada através da implementação de medidas mitigadoras dos impactos nefastos para o ambiente, complementadas com medidas de adaptação, face às Alterações Climáticas. 
Neste âmbito, os aproveitamentos hidráulicos, incluindo os aproveitamentos hidroagrícolas, poderão atenuar o impacto das Alterações Climáticas, contribuindo para a sua mitigação (diminuição da produção dos gases com efeito de estufa, logo, atenuando a anormal subida da temperatura e a consequente alteração do ciclo hidrológico) e para a adaptação (constituindo uma reserva de água estratégia para diferentes usos, para sustentabilidade dos ecossistemas naturais fluviais e para fazer face aos fenómenos extremos). 

Comente este artigo
Anterior InovMilho promove encontro nacional de alunos
Próximo Pintar a dívida de “verde” para ajudar a salvar o planeta

Artigos relacionados

Sugeridas

Conclusões do projeto EntoValor: insetos na alimentação animal tornam setor mais sustentável

O projeto EntoValor demonstra que a introdução de insetos permite manter um setor agroalimentar a funcionar através de uma reconversão […]

Comunicados

Ministério da Agricultura reforça orientações específicas de prevenção da COVID-19 para a época das colheitas agrícolas

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes Albuquerque, e o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, na […]

Sugeridas

Feira Tecnipão: Clube de Produtores Continente apresenta pão feito só com farinha nacional

100% português assim será o pão que o Clube de Produtores Continente apresentará na Feira Tecnipão que decorrerá na ExpoBatalha entre os dias 13 e 15 de abril. […]