“Alterações Climáticas e Agricultura”

“Alterações Climáticas e Agricultura”

[Fonte: DGADR] No dia 26 de abril, a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural participou no Simpósio “Alterações Climáticas e Agricultura” na 36ª OVIBEJA, tendo sido apresentada uma reflexão sobre a função das barragens intitulada “Ainda vale a pena construir barragens?”. 
A transformação do ambiente natural e construído (humanizado) tem de ser realizada de forma harmoniosa, evitando roturas, tornando-se indispensáveis novos paradigmas de desenvolvimento e mudanças de comportamentos, que integrem um conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos associados aos seres vivos, influenciando-os e sendo influenciados por eles (Ambiente) e permitem sustentar as necessidades de água da atual sociedade. Mais do que nunca, é necessário convocar saberes vários de áreas muito diversificadas. 


A transformação do ambiente natural e construído (humanizado) tem de ser realizada de forma harmoniosa, evitando roturas, tornando-se indispensáveis novos paradigmas de desenvolvimento e mudanças de comportamentos, que integrem um conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos associados aos seres vivos, influenciando-os e sendo influenciados por eles (Ambiente) e permitem sustentar as necessidades de água da atual sociedade. Mais do que nunca, é necessário convocar saberes vários de áreas muito diversificadas. 

O objetivo é proteger os recursos naturais (água, ar, solo) e o ambiente geral, tendo que considerar o fenómeno das Alterações Climáticas. A proteção é realizada através da implementação de medidas mitigadoras dos impactos nefastos para o ambiente, complementadas com medidas de adaptação, face às Alterações Climáticas. 
Neste âmbito, os aproveitamentos hidráulicos, incluindo os aproveitamentos hidroagrícolas, poderão atenuar o impacto das Alterações Climáticas, contribuindo para a sua mitigação (diminuição da produção dos gases com efeito de estufa, logo, atenuando a anormal subida da temperatura e a consequente alteração do ciclo hidrológico) e para a adaptação (constituindo uma reserva de água estratégia para diferentes usos, para sustentabilidade dos ecossistemas naturais fluviais e para fazer face aos fenómenos extremos). 

Comente este artigo
Anterior InovMilho promove encontro nacional de alunos
Próximo Pintar a dívida de “verde” para ajudar a salvar o planeta

Artigos relacionados

Últimas

Consulai – Abertura de candidaturas pequenos investimentos na exploração agrícola

Estão previstos os seguintes períodos de candidatura à operação 10.2.1.1 – Regime simplificado de pequenos investimentos na exploração agrícola:

ADRIL:

Concelhos de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo, com exceção da União de Freguesias de Viana do Castelo e Meadela. […]

Comunicados

Crédito Agrícola, Banco oficial da AGRIMILK SHOW

Lisboa, 3 de Novembro de 2016 – O Crédito Agrícola é o Banco oficial da AGRIMILK SHOW, a primeira feira dedicada ao setor do leite, na Exponor – Feira Internacional do Porto – que decorre de 3 a 6 de Novembro, no Porto.
O Crédito Agrícola estará presente com um stand, […]

Sugeridas

Mercadona em primeiro lugar no ranking de atração e retenção de talento no setor da distribuição em Espanha

– A Mercadona é a empresa mais bem valorizada do setor da distribuição generalista em Espanha e a sexta a nível global para atrair e reter talento, segundo mais de 34.000 entrevistados pelo Monitor Empresarial de Reputação Corporativa (Merco) relativo ao mercado espanhol.
– As condições laborais da Mercadona destacam-se por oferecer emprego estável e de qualidade. […]