Alimentaria 2019 gerou um potencial de negócio de 25 milhões de euros

Alimentaria 2019 gerou um potencial de negócio de 25 milhões de euros

A organização da Alimentaria&Horexpo faz um balanço muito positivo desta 15.ª edição em Lisboa. A mostra recebeu cerca de 800 empresas participantes, entre directas e representadas, das quais 38% eram internacionais.

Para a directora de área de feiras da FIL, Fátima Vila Maior, a qualidade do certame traduz-se nas respostas dadas pelos visitantes no âmbito dos inquéritos realizados na Alimentaria&Horexpo Lisboa: «35% dos visitantes profissionais concretizou negócio e 64% admite ter identificado oportunidade de negócio com possibilidade de concretização nos próximos 6 meses».

Para a responsável, estes são números «muito animadores e permitem afirmar que a edição deste ano gerou um potencial de negócio de 25 milhões de euros».

Ao longo dos três dias do certame, que contou com 800 empresas expositoras, a FIL promoveu um inquérito junto de uma amostra significativa de profissionais que visitaram a 15ª edição da Alimentaria & Horexpo Lisboa, realizada de 24 a 26 de Março, e concluiu que as mulheres estiveram em maioria (55%) e que 40% dos visitantes estão na faixa etária dos 36 a 45 anos.

De um universo de 478 inquiridos, 25% dos visitantes entrevistados exercem profissão na área da distribuição/importação, 20% são fabricantes de produtos alimentares e 44% integram o canal Horeca. 8% dos visitantes pertencem à grande distribuição e lojas especializadas. De destacar que 36% do número de visitantes esteve pela primeira vez no certame.

Conscientes da importância da existência de uma feira representativa do sector Alimentar para o desenvolvimento do próprio sector a médio/longo prazo, e admitindo (92%) que a Alimentaria&Horexpo Lisboa é «o evento mais representativo do sector em Portugal», 96% dos visitantes revela que marcará presença na próxima edição.

O conceito da Alimentaria & Horexpo Lisboa 2019 assentou este ano nos eixos da Inovação e dos Novos Produtos, uma aposta que Fátima Vila Maior acredita ter sido ganhadora, «dado não apenas o número de empresas presentes, como de visitantes profissionais, que se traduziram num crescimento de 16% face a 2017».

A feira em números

  • 14911 Profissionais do sector
  • 800 empresas a expor
  • 38% das empresas a expor são internacionais
  • 29 países a expor
  • 55% dos visitantes são do sexo feminino
  • 36% dos visitantes estiveram pela primeira vez numa Alimentaria&Horexpo
  • 68% dos visitantes tinham «intenção de fazer negócio»
  • 64% «identificaram oportunidades de negócio com possibilidade de concretização nos próximos 6 meses»
  • 35% dos visitantes «concretizou negócio»

Notícias relacionadas

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Terra Emergente – T.3 Ep.7 – Nichos de Mercado
Próximo CDS quer medidas excecionais de apoio aos agricultores afetados pela seca

Artigos relacionados

Nacional

Wunda. Consumidores nacionais definem o sabor e marca da nova estrela da Nestlé

É mais uma resposta da Nestlé a um mercado em crescimento: os produtos com base em plantas. A equipa portuguesa da multinacional participou na criação da nova aposta na área de bebidas […]

Nacional

Movimento de cidadãos defende coleção de fruteiras de Tavira

A coleção de fruteiras tradicionais da Direção Regional de Agricultura do Algarve, considerada única no país, pode estar em risco.
Um grupo de cidadãos vai criar um movimento em defesa do Centro de Experimentação Agrária de Tavira, […]

Sugeridas

Message by President Ursula von der Leyen on measures to support farmers during the Coronavirus crisis

Following the Coronavirus outbreak and current crisis, the European Commission adopted today the extension of the deadline for […]