Agricultura: é hora de começar a fazer diferente – Cláudia Brites

Agricultura: é hora de começar a fazer diferente – Cláudia Brites

A falta de partilha de conhecimento entre a investigação e os agricultores é um dos maiores entraves à evolução técnica e tecnológica que permita desenvolver uma agricultura mais sustentável.

O desenvolvimento sustentável, com base na preservação e recuperação do capital natural, com o intuito de aumentar a absorção de CO2, e a promoção da economia com base no respeito de princípios favoráveis à biodiversidade são alguns dos principais compromissos da estratégia da União Europeia para a próxima década.

No nosso país, na apresentação “Terra Futura – Agenda da Inovação para a Agricultura 2030”, realizada no passado dia 11 de setembro pela Ministra da Agricultura, salientou-se a importância do crescimento da agricultura através da inovação, o papel do cidadão por via da consciencialização com a alimentação, a proteção do planeta e a conservação dos recursos naturais, bem como o papel do Estado na promoção e apoio à agricultura.

Foram também elencados os grandes desafios com os quais a agricultura se depara atualmente, como as alterações climáticas, a escassez de recursos naturais, a alteração dos padrões de consumo, o envelhecimento da população e o despovoamento nas zonas rurais. Reconhecemos que, para que estes desafios possam ser vencidos, é necessária uma colaboração multissectorial, na qual a agricultura terá um papel fundamental como elemento agregador, mas não poderá ser o único ator a intervir.

O Ministério da Agricultura assumiu, ainda, o aumento em 60% das verbas em investigação e desenvolvimento. É agora necessária atenção redobrada na implementação destas medidas, de modo a garantir que todo o investimento atinja o seu propósito e que realmente se traduza em mais sustentabilidade e mais rendimento para os agricultores.

Continue a ler este artigo no Observador.

Comente este artigo
Anterior Information Package for the Committee of Inquiry on the protection of animals during transport (ANIT)
Próximo EU marketing standards contribute to high quality standards for EU agri-food products

Artigos relacionados

Blogs

OGM | Rosa e mais doce do que o amarelo

A cor rosa deve-se ao licopeno, um composto químico presente também no tomate, na melancia e na toranja. […]

Dossiers

Oferta de estágio – Assessor Técnico – Engenheiro Agrónomo – Baixo Alentejo

A empresa Hubel Verde, especializada em nutrição vegetal e assessoria agronómica; recruta jovem, com formação na área da agronomia, para desempenhar […]

Vídeos

Grupo Auto-Industrial ajuda produtores a escoar os seus produtos agrícolas

O Grupo Auto-Industrial está a divulgar nas suas páginas de facebook (tanto do sector agricola como Grupo Auto-Industrial), nos seus sites e nas […]